Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Spain's far-right VOX  regional candidate Francisco Serrano is flanked by VOX party leader Santiago Abascal before a news conference following the Andalusian regional elections n Seville, Spain December 3, 2018. REUTERS/Jon Nazca
|

Da redação – Nessa quarta-feira (26), o Partido Popular (PP) e o Ciudadanos, ambos da direita tradicional, firmaram um acordo para ganhar a maioria no parlamento da região autônoma da Andaluzia. O líder regional do PP, Juan Manuel Moreno, será o candidato da coalizão à presidência do parlamento.

O terceiro partido da coalizão de direita é o fascista VOX. Pela primeira vez desde o final da ditadura fascista de Francisco Franco a Espanha tem em algum parlamento um partido abertamente de extrema-direita, tendo o VOX alcançado 11% dos votos na eleição andaluza. A fim de obter a maioria e desbancar a esquerda, o PP e o Ciudadanos tiveram de se aliar ao VOX.

Havia também a possibilidade de uma “frente democrática” entre PP e PSOE, o partido da esquerda burguesa que governava a Andaluzia há 36 anos. Ela havia sido cogitada pelo PSOE para “evitar” a ascensão do VOX, traçando assim uma aliança com os pais do fascismo para derrotar sua cria. Isso porque o PP é o partido tradicional da burguesia e continuador do regime franquista, agora com uma aparência democrática.

No entanto, demonstrando seu verdadeiro caráter de extrema-direita, o PP recusou a aliança com o PSOE, afirmando ainda que é preciso a união da direita para derrotar a esquerda.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas