Bolívia
Ditadura golpista boliviana, assim como a brasileira, coloca a culpa no povo pelas mortes por coronavírus, enquanto o povo não tem nenhuma assistência do governo
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
1602531994_4d13de4ec2_o
Aymaras são o povo mais pobre da Bolívia, maioria da população. Foto: Andrew Miller |

Da redação – O escritor Gabriel Mamani, ganhador do prêmio nacional de romance da Bolívia, denunciou, em um artigo para o jornal Opinión, a ditadura instaurada em seu país após o golpe de outubro passado por culpar o povo pelo surto do Covid.

“Temos mais de 2.000 infectados porque as pessoas não são responsáveis, porque as pessoas têm maus hábitos, porque as pessoas não são higiênicas, porque as pessoas não valorizam suas vidas”, eis o discurso do governo, escreve Mamani.

Acrescenta que “segundo o governo, a natureza incontrolável do vírus na Bolívia se deve apenas à indisciplina do ‘povo’ ou às políticas de saúde precárias do governo anterior. Nunca à ineficácia da administração dos atuais governantes”.

Ele destaca que trata-se, além disso, de uma campanha da extrema-direita para relacionar isso ao Movimento ao Socialismo, cuja base social são os trabalhadores, os camponeses e, principalmente, os índios aymara, dos quais descende a maioria da população boliviana.

“Qualquer desacordo com o atual governo só pode ser produzido por pessoas relacionadas a Evo que agitam as massas mal preparadas”, continua a denúncia do escritor, cujo país natal se transformou em um verdadeiro campo de perseguição política contra a esquerda.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Relacionadas