Volta às aulas
É preciso lutar por uma greve geral da educação!
volta-as-aulas-sala-de-aula-brasil-1593010549215_v2_1183x887
Salas vazias durante a pandemia do coronavírus. | Foto: Reprodução.
volta-as-aulas-sala-de-aula-brasil-1593010549215_v2_1183x887
Salas vazias durante a pandemia do coronavírus. | Foto: Reprodução.

Colégios particulares já registram as consequencias nefastas da reabertura assassina assinada pelo Governador João Dória (PSDB), das aulas presenciais em São Paulo, após dez dias da medida. Foram comprovadas infeecções do coronavírus nas Escolas Móbile, Colégio Santa Cruz, São Luís e Santa Marcelina. De acordo com a administraçãos privada, não houve contágio dentro dos colégio.

 

”Protocolos científicos” foram inúteis

De acordo com as instruções médicas, os famosos ”procolos científicos” a serem utilizados nas salas de aulas para viabilizar o retorno seriam os três: ventilamento, higiene e distanciamento. Mesmo assim, na zona sul de São Paulo, em um colégio tradicional da burguesia, uma professora e um aluno tiveram diagnóstico positivo para a covid-19 no último fim de semana.

O grupo de estudantes para o qual a professora lecionava foi afastado, assim como a turma que frequentava as aulas com o aluno infectado. A escola diz que os dois casos não têm relação entre si – a professora contaminada não lecionava para o aluno infectado – e foram registrados em prédios diferentes, entretanto o seguinte depoimento revela uma questão importante: a escola Móbile diz que a professora respeitou todos os protocolos estabelecidos, “ou seja, usou máscaras, manteve distanciamento físico e não utilizou a sala de professores”.

Conforme a Vigilância Sanitária de Campinas, o surto entre os professores teve origem na semana anterior à volta às aulas, “em reuniões de treinamento e planejamento onde ocorreram as quebras das medidas de barreira”. Na rede estadual paulista, sete escolas foram fechadas por casos de infecção por coronavírus antes mesmo de retomarem as aulas presenciais. Houve registros entre professores que participaram das atividades de planejamento na semana anterior.

 

Se já está assim em colégios privados, imagine para os filhos da classe operária…

Se até mesmo em um escola para ”os bons”, cara, aparentemente com todas as condições de seguir os tais procolos sanitários, como faz a propaganda dos tubarões do ensino privado, se mesmo com tudo isso, ainda há infecções acontecendo, então imaginem o que vai sobrar para os filhos da classe operária.

Qualquer um que já pisou em uma escola pública sabe como são precárias as condições – nenhuma ventilaçao, salas com vazamentos e sem corrente de ar, além de falta de sabão e próprio alcool em gel. É uma receita precisa para uma explosão de casos da pandemia, é simplesmente insano ser a favor disso, como a imprensa capitalista quer fazer crer que muitos professores são a favor do retorno, mas na verdade são apenas os comprometidos com os tubarões do ensino privado.

 

Lutar contra o absurdo da volta as aulas, por uma greve geral da educação!

Enquanto países que retomaram as aulas presenciais já voltaram atrás, impondo mais restrições a quarentena e fechamento de tudo conta do aumento de casos de pandemia, o Brasil vai fazendo justamente o contrário, o absurdo da volta às aulas, não o resumindo apenas ara o privado, mas também para a rede pública.

Nesse sentido, lutar por volta às aulas apenas com vacinação da população de conjunto é a única medida racional e verdadeiramente científica a tomar, pois estamos na época das cepas, novas mutações do vírus, que ameaçam ainda mais os estudantes, professores e trabalhadores das escolas.

É preciso lutar por uma greve geral da educação!

Relacionadas
Send this to a friend