“Escola com fascismo” passa pela Comissão Especial rumo à Câmara: mobilizar já os trabalhadores

escola se partido

Da redação – O projeto de lei “Escola Sem Partido”, que a direita quer implementar como a “Escola com fascismo”, deve ser votado na comissão especial criada na Câmara dos Deputados na próxima quinta-feira (29), após diversos adiamentos e embates entre os parlamentares de esquerda contra a direita e a extrema-direita. O relator foi o deputado golpista Flavinho (PSC-SP), que apresentou seu parecer nesta tarde como o último passo antes de o projeto estar apto para votação.

Os deputados da oposição apresentaram um pedido de vista conjunta, que estabelece um intervalo de duas sessões do plenário da Câmara antes da próxima reunião da comissão e tentaram fazer intervenções sobre questões de ilegalidade processual e inconstitucional do programa fascista. A reunião de hoje durou cerca de cinco horas, a esquerda apresentou a mesma série de questões de ordem que nas outras sessões, sendo todas ignoradas pelos golpistas.

A proposta do “Escola com fascismo” é uma das principais bandeiras de aliados do presidente eleito pela fraude, o golpista Jair Bolsonaro (PSL). Está mais do que provado que dentro das instituições burguesas não se pode travar qualquer luta contra esses golpistas, que, inclusive, estão articulando militares dentro do governo desde o golpe contra Dilma. É necessário a criação de amplos comitês de luta, de autodefesa, dos movimentos sociais, dos partidos de esquerda, das bases sociais da esquerda contra a extrema-direita.