Escola com fascismo: direita quer proibir curso sobre o Fascismo na UFSB
ufsb
Escola com fascismo: direita quer proibir curso sobre o Fascismo na UFSB
ufsb

Um partido político como grupo organizado, legalmente formado com participante voluntário, que tem orientação política, podem exercer o direito de se manifestar politicamente de forma organizada em qualquer lugar. Quiça, o espaço universitário é democrático e regulamentado por uma constituição que reza: “o espaço universitário seja respeitado e garantida  e assegurada a liberdade de pensamento e reunião”.

É preocupante a intolerância fascista com as matizes do pensamento crítico. No art. 5° da Constituição diz: é livre a manifestação do pensamento; no art. 1° inc.V pluralismo político.

Com base em nossa constituição podemos exercer qualquer tipo de atividade política no interior de nossas universidades. A Universidade Pública é do povo.

Nesta semana, na UFSB(Universidade Federal da Bahia),  os organizadores do curso Fascismo: o que é, e como combatê-lo, do Partido da Causa Operária (PCO), sofreu ataque  da extrema direita, instituindo o terror, perseguindo com o objetivo que o curso não ocorra.

O fascismo, o velho inimigo do povo, que se levanta a medida que forças da extrema direita, com suas políticas reacionárias e intimistas, que buscam da força bruta para impor sua política esmagadora sobre o povo, nesse caso os estudantes.

Fatos esses nos remete à Italia de Mussolini e à Alemanha de Hitler que fizeram o uso de milícias, do lupem recrutando para formação de um exército fascista, os quais torturavam , massacravam todos os que se manifestaram contra o regime.

Os camisas negras, grupos fascistas, grupos que foram aproveitados e organizados por Mussolini, combateram as greves, os grupos socialistas que lutavam por melhorias para os trabalhadores.

Na Alemanha de Hitler, aumentou a repressão aos partidos, cassando mandato de seus deputados, dirigentes foram presos ou perseguidos, agremiações estudantis foram proibidas, em 15/03/1930 o partido comunista foi proibido.

Assim,com essa pequena exposição de fatos históricos, observa-se um total retrocesso político, com surgimento da tentava de implantação da “escola sem partido”, que inibe, proibe e persegue, qualquer tipo de manifestação política dentro das escolas , das universidades, diluindo direito democrático da livre expressão.

É preciso confrontar a Escola com Fascismo”, denunciando, indo às ruas. Com faixas, bandeiras informando a populações mecanismos fascistas da extrema direita que impede os alunos ter livre acesso às informações e aos debates.

É preciso ir às ruas, levantar a bandeira do Fora Bolsonaro e Liberdade para Lula, eleições já com Lula candidato, por que esse representa o povo brasileiro e teve seu direito retirado.

Convidamos todos e todas a irem assistir o curso Fascismo: o que é, e como combate-lo, que será realizado nos dias 6 e 7 de julho, em Itabuna, extremo Sul da Bahia, na Universidade Federal da Bahia(UFSB).