Escapou: Globo deixa passar um “Lula livre” de vencedora do Big Brother

BBB

A estudante de psicologia do Acre, Gleici Damasceno, vencedora da última edição do BBB 18 (Big Brother Brasil), soube da prisão do ex-presidente Lula assim que pisou fora do reality show e não se aguentou. Para o desespero da família golpista Marinho, antes mesmo de conversar com sua própria família – e com o apresentador coxinha – a petista gritou: “Lula livre!“. Gleici é militante de direitos humanos e foi avisada da prisão de Lula pelo seu irmão logo na saída, como podemos ver no vídeo à baixo.

Em agradecimento ao ato de coragem, a página do ex-presidente Lula nas redes sociais publicou uma foto dele com a acreana, com a legenda “Quando é no voto, a gente ganha sempre. Parabéns Gleici!”. A ex-presidenta Dilma Rousseff também usou sua conta no Instagram para falar sobre Gleici: “Parabéns a querida Gleici, jovem negra, periférica, militante dos direitos humanos e do movimento negro, atuante nas lutas da juventude por um futuro melhor, feminista, filiada ao Partido dos Trabalhadores. Gleici, a menina acreana que é a cara de nosso povo e sempre esteve do lado certo da luta e da história, encantou e conquistou o Brasil!”

Vale ressaltar que esta edição do BBB foi marcada por manifestações políticas — todas de esquerda, ou ao menos contra o ora presidente Michel Temer. O bordão “Fora Temer” surgiu já no paredão de Helcimara, onde a Mara, primeira eliminada do programa gritou o jargão famoso pelo país contra o golpista mais odiado do país. Viegas, outro participante, ao sair da casa se colocou contra o usurpador golpista, o vampiro Temer e ainda soltou um “Eita porra” ao saber da prisão de Lula, um dia antes.

A manifestação política da campeã em rede nacional, mostrou que a situação saiu do controle da imprensa golpista e falsária, pois o fato foi visto ao vivo por todo o país e no momento mais assistido da emissora golpista. E mesmo trabalhando como um grande “filtro”, que é a Globo e seus editores especialistas em todo tipo de falsificação, essa manifestação em defesa da liberdade de Lula escapou. Temos que deixar claro aqui sobre esse ocorrido: tal situação, extremamente constrangedora para os golpistas, expressa uma polarização da luta política no país, e diferente do momento anterior, onde os golpistas atacaram a classe operária, colocando a mesma na defensiva, agora há uma polarização à esquerda.  Os capachos do imperialismo tiveram que engolir seco dessa vez.

O país vive um golpe de Estado, mas a situação está ficando fora de controle para os golpistas. A política se radicaliza rápido à esquerda, havendo no último período uma ocupação da sede da emissora golpistas no nordeste; um ato enorme na ocupação e acampamento contra prisão de Lula em São Bernardo do Campo (SP); havendo também milhões de trabalhadores saindo por todo o país às ruas desde o dia 26 do mês passado; que agora se articulam para compor o “Acampamento Lula Livre” em Curitiba onde se encontram quase 2 mil pessoas e, como decidido a dois dias, organizando um ato do dia 1º de maio – dia dos trabalhadores.