Escalada Sionista: militantes do Hamas são mortos pelas Forças Armadas de Israel

A Palestinian hurls stones at Israeli troops during clashes at the Gaza-Israel border at a protest demanding the right to return to their homeland, in the southern Gaza Strip

Da redação – Dois militantes do Hamas foram mortos nesta terça-feira (7) por disparos de tanques israelenses em Gaza. As mortes foram confirmadas pelo grupo Hamas e por autoridades de saúde palestinas perto de Beit Lahiya, no norte de Gaza.

Para justificar o ataque, as Forças Armadas israelenses alegaram agressão, divulgando um vídeo em preto e branco de péssima qualidade, onde dois homens são vistos em uma torre de vigia. Então, o vídeo corta para uma outra filmagem, quando o posto é alvejado, terminando com uma explosão. Lembremos que ataques perpetrados pelos israelenses são comuns na região. É sabido que o povo palestino faz “guerra” com paus e pedras, enquanto os israelenses utilizam dos mais modernos e mortais armamentos para dizimar o povo árabe. Em resposta, nenhum grupo militante reivindicou responsabilidade pelo ataque alegado por Israel.

Vale aqui ressaltar que até o dia 14 de maio de 1948, todo o espaço geográfico hoje ocupado por Israel pertencia completamente à Palestina. No ano de 1947, em assembleia, por imposição da ONU (organização das Nações Unidas) e coordenado pelo imperialismo inglês, o Estado Sionista foi criado à revelia do povo palestino, bem como de seus vizinhos (Egito, Síria, Líbano e Iraque). Como consequência do expansionismo do Estado sionista, o povo árabe vem sendo massacrado nos últimos 70 anos. Dados relativos à tomada do território palestino por parte de Israel não deixam dúvidas quanto a essa hecatombe.

Diante disto, é preciso denunciar o massacre do povo palestino conduzido por Israel, que goza de todo apoio do imperialismo.