ES: famílias sem terra são ameaçadas de despejo por expropriadores da terra

mstes

Da redação – Apesar da obrigatoriedade da função social da terra prevista em constituição, aos latifundiários tudo é permitido, inclusive exigir reintegração de posse de uma propriedade situada em área de proteção ambiental e com R$ 27 milhões de dívida de impostos com a união.

É o que descreve a nota pública de repúdio do MST do Espírito Santo sobre a tentativa de despejar 70 famílias de uma ocupação na fazenda Neblina em Nova Venécia (ES). O acampamento Ondina Dias, que conta com 30 crianças e 20 jovens, corre o risco de sofrer um ataque da PM no dia 23 de abril, para executar uma ordem de reintegração de posse.

Dezenas de famílias podem ficar desabrigadas e sem sua fonte de sustento, além de serem reprimidas violentamente pela polícia fascista, apenas para garantir a segurança da propriedade privada burguesa. É necessário que os movimentos sociais se unam aos sem terra contra essa ação bárbara e impeçam a retirada das famílias de suas terras com uma ampla manifestação, uma vez que apelar ao Governo para que suspenda o despejo vai surtir pouco efeito pois as instituições trabalham apenas contra a população e a serviço dos latifundiários e capitalistas.