Protestos no Equador
Milhares de equatorianos foram às ruas nessa quinta contra o governo de Lenín Moreno e seu pacote de medidas econômicas, que incluem o fechamento de embaixadas e privatizações
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
equador
Manifestações no Equador. Imagem ilustrativa | Foto: Reprodução

Os equatorianos realizaram gigantescas manifestações contra a política de aumento dos preços dos combustíveis no ano passado, conseguindo uma pequenina vitória com o governo do país declarando que tomaria algumas medidas para controlar a situação dos preços.

Hoje, os equatorianos voltam às ruas contra o governo, por sua política genocida no país durante a pandemia de COVID-19, que além de permitir que o país fosse muito atingido pela doença, criando uma crise sanitária que deixava os corpos dos mortos apodrecerem nas ruas. Além disso, a população também se revoltou contra o pacote de medidas econômicas em prol do imperialismo mundial que adotou Lenín Moreno, que seguindo ordens do FMI, vai privatizar inúmeras empresas, retirar gastos na saúde e na educação do país e fechar embaixadas.

As embaixadas fechadas, inclusive, são as de países claramente não alinhados com os interesses do imperialismo, como é o caso do Irã e da Nicarágua.

A população está saindo de casa e realizando atos massivos contra o governo, com uma clara tendência de que esses ator irão aumentar. A polícia, por sua vez, tem agido como é de costume e reprimido violentamente a população.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas