América Latina
As mobilizações populares no Equador significam um novo impulso no continente sul-americano. A população manifesta repúdio ao governo Lenin Moreno, fantoche do imperialismo
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
equador-protestos-04102019182643189
População toma as ruas no Equador | Foto: Reprodução

Em meio à pandemia do Covid-19, o Equador dá mais um impulso à mobilização popular na América do Sul.

Na segunda (25), os trabalhadores foram às ruas em protesto contra a política neoliberal do presidente Lenin Moreno. Os trabalhadores denunciavam as “reformas” que pretendem reduzir a jornada de traballho e confiscar de 25% a 40% dos salários dos servidores públicos, privatizar diversas empresas estatais, como a empresa área Bandera Tame e a a Empresa de Ferrovias do Estado.

Em meio à pandemia do Covid-19, Moreno transferiu 936 milhões de dólares para as as instituições financeiras Goldman Sachs, Credit Suisse e ICBC Standard Pic. A justificativa é a rolagem da dívida pública.

Lenin Moreno foi eleito com o apoio da esquerda nacionalista equatoriana. Após a tomada de posse, foi cooptado pelo imperialismo e dedicou-se a perseguir os líderes da esquerda que se mobilizou para o eleger. O ex- presidente Rafael Correa teve de se exilar para não ser preso, após ser acusado em um processo judicial farsesco. A entrega de Julian Assange, o fundador do Wikileaks, que estava sendo perseguido em virtude da publicação de documentos que revelavam as atrocidades cometidas pelo imperialismo no Oriente Médio, demonstra o nível de servilismo do governo fantoche do imperialismo.

As mobilizações no país sul-americano são sintoma da tendência de uma mobilização geral dos povos oprimidos contra o imperialismo em toda a América Latina. Os sindicatos e os estudantes estão tendo destacada participação nas mobilizações no Equador. Um estudante afirmou que não há outra alternativa que não a mobilização e um sindicalista disse que, se o Covid-19 não matar a população, o governo se encarregará de fazê-lo. O governo de Lenin Moreno não goza de nenhum apoio e popularidade junto à população

A política neoliberal significa a dominação do imperialismo, isto é, do capital financeiro, sobre os povos e a apropriação das riquezas naturais dos países atrasados. Neste período de crise capitalista,  que se prolonga há décadas, o imperialismo busca acentuar o controle e a exploração dos países atrasados. Este é o fundamento dos golpes de Estado que ocorreram, de diversas formas, em todos os países do continente, começando no golpe contra Manuel Zelaya em Honduras e passando pela destituição da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e ascensão de Jair Bolsonaro e a extrema-direita fascista e pró-imperialista na Presidência da República. O golpe visa realinhar os países oprimidos com a política externa do imperialismo, em especial dos EUA.

É preciso que a esquerda e as organizações operárias e populares participem e convoquem mobilizações em todo a América Latina para expulsar o imperialismo e seus lacaios.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas