“Lockdown”
Pandemia vira pretexto para governo de Lenín Moreno aprofundar a repressão
moreno
Lenín Moreno | Foto: Reprodução/Twitter

Nesta semana, o Comitê de Operações de Emergência do Equador (COE) decidiu emitir medidas mais rigorosas supostamente para conter a pandemia de coronavírus. Entre elas, o toque de recolher e a lei seca em 18 das 24 províncias do Equador. São elas: Azuay, Bolívar, Carchi, Cañar, Chimborazo, Cotopaxi, Esmeraldas, Imbabura, Loja, Morona Santiago, Napo, Orellana, Pastaza, Pichincha, Santo Domingo de los Tsáchilas, Sucumbíos, Tungurahua e Zamora Chinchipe.

As medidas valerão por 15 dias. O governo de Lenín Moreno enfrentou uma série de mobilizações no segundo semestre de 2019 e, certamente, utilizará as medidas para aumentar a repressão contra o povo.

Relacionadas