“Lockdown”
Pandemia vira pretexto para governo de Lenín Moreno aprofundar a repressão
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
moreno
Lenín Moreno | Foto: Reprodução/Twitter

Nesta semana, o Comitê de Operações de Emergência do Equador (COE) decidiu emitir medidas mais rigorosas supostamente para conter a pandemia de coronavírus. Entre elas, o toque de recolher e a lei seca em 18 das 24 províncias do Equador. São elas: Azuay, Bolívar, Carchi, Cañar, Chimborazo, Cotopaxi, Esmeraldas, Imbabura, Loja, Morona Santiago, Napo, Orellana, Pastaza, Pichincha, Santo Domingo de los Tsáchilas, Sucumbíos, Tungurahua e Zamora Chinchipe.

As medidas valerão por 15 dias. O governo de Lenín Moreno enfrentou uma série de mobilizações no segundo semestre de 2019 e, certamente, utilizará as medidas para aumentar a repressão contra o povo.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas