Envolvido em rombo no Postalis é preso pela PF em outro processo

correios

O ex- presidente do Banco BNY Mellon, José Carlos Lopes Xavier da Silva de Oliveira foi preso na sexta-feira (19/10) pela Polícia Federal, suspeito de fazer parte da quadrilha de empresários, banqueiros e investidores que roubava o dinheiro do fundo de pensão complementar de servidores municipais, no país a fora. Operação que tem o nome de Abismo.

É a segunda vez que José Carlos Oliveira, conhecido por Zeca é preso por indiciamento em fraude e roubo de fundo de pensão de servidores públicos.

A primeira vez, se deu por intermédio das investigações do rombo de mais de 6 bilhões de reais do Postalis (Fundo de Pensão complementar dos funcionários dos Correios).

Apesar das investigações da Polícia Federal no Postalis, com o nome de Pausare, levar a conclusão que José Carlos Oliveira, ex- presidente do Banco americano era o maior responsável pelo dissolvimento de 6 bilhões de reais dos trabalhadores dos Correios, em investimentos “furados”, Zeca não ficou preso e o Banco BNY Mellon se recusa a devolver o dinheiro para os trabalhadores dos Correios.

Provalmente, Zeca será novamente solto, já que a cadeia no Brasil não é para prender banqueiros, mas pobre, negros e trabalhadores.

A prisão, como já vimos na golpista operação “Lava jato”,  deve estar a serviço de limpar o terreno, exigindo da turma do Zeca entregue o caminho para que outros investidores possam controlar os fundos de pensão dos trabalhadores, como vem acontecendo no Postalis.