Lava Jato conspirou para impedir entrevista de Lula nas eleições

Lula

A série de reportagens divulgada pelo site The Intercept Brasil no domingo (9) demonstrou de uma vez por todas que Lula é um preso político. Em conversas privadas vazadas por um informante, o ex-juiz Sérgio Moro (hoje ministro da Justiça de Bolsonaro) e os procuradores da Lava Jato discutem abertamente como prender Lula mesmo sem provas e como tirá-lo das eleições, para impedir a “volta do PT”. A direita agiu nas sombras dentro do Judiciário para perseguir Lula, preso político há 429 dias, condenado sem provas.

A reportagem do Intercept mostra uma conversa privada em um grupo de procuradores no aplicativo Telegram. Por ocasião da liberação pelo ministro do STF Ricardo Lewandowski para que Lula concedesse a entrevista para Mônica Bergamo, os procuradores entram em pânico. A procuradora Laura Tessler, a certa altura da conversa, revela a preocupação fundamental que movia o grupo: “sei lá…mas uma coletiva antes do segundo turno pode eleger o Haddad”.

Mais cedo, diante da decisão de Lewandowski, Tessler explodiu em uma revolta contra a decisão: “Que piada!!! Revoltante!!! Lá vai o cara fazer palanque na cadeia. Um verdadeiro circo. E depois de Mônica Bergamo, pela isonomia, devem vir tantos outros jornalistas… e a gente aqui fica só fazendo papel de palhaço com um Supremo desse… ” Outra procuradora, Isabel Groba, respondeu: “Mafiosos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!”.

Ao mesmo tempo, Deltan Dallagnol conversava com uma amiga que não foi identificada pela reportagem do Intercept, que aparece no aplicativo com o nome “Carol PGR”. Os dois discutiam a situação:

“Carol PGR – 11:22:08 Deltannn, meu amigo

Carol PGR – 11:22:33 toda solidariedade do mundo à você nesse episódio da Coger, estamos num trem desgovernado e não sei o que nos espera

Carol PGR – 11:22:44 a única certeza é que estaremos juntos

Carol PGR – 11:24:06 ando muito preocupada com uma possivel volta do PT, mas tenho rezado muito para Deus iluminar nossa população para que um milagre nos salve

Deltan Dallagnol – 13:34:22 Valeu Carol!

13:34:27 Reza sim

13:34:32 Precisamos como país”

Outro procurador, Athayde Costa, sugere uma manobra que poderia ser feita pela Polícia Federal, agendando a entrevista para depois das eleições:

“Athayde Costa – 12:02:22 N tem data. So a pf agendar pra dps das eleicoes. Estara cumprindo a decisao

12:03:00 E se forcarem antes, desnuda ainda mais o carater eleitoreiro”

Ou seja, os procuradores, naquele momento, discutiram abertamente formas de impedir a entrevista do Lula, até que ela fosse bloqueada por uma liminar do Partido Novo (fato que foi comemorado no grupo). Isso mostra o comprometimento de amplos setores de direita por dentro do Estado, do Judiciário, empenhados em perseguir Lula politicamente e tentar impedir a qualquer custo a vitória eleitoral do PT. Trata-se de mais uma demonstração de que as eleições foram absolutamente fraudada e de que Lula é um preso político condenado sem provas. Diante disso, é preciso levantar o programa nas mobilizações: Fora Bolsonaro!, Liberdade para Lula!, Eleições Gerais já!, Lula candidato.