Entreguismo: golpistas vão privatizar BR Distribuidora que lucrou esse ano R$ 23,6 bi

br

Da redação – A BR Distribuidora divulgou, na noite desta quarta feira, 1º de agosto, os resultados obtidos nos últimos meses com a venda dos derivados de petróleo da Petrobras. Segundo balanço realizado pela empresa foi registrado um salto de 275,7% no lucro líquido do segundo semestre na comparação anual, o que gerou uma expansão da receita líquida da empresa. A receita líquida da empresa, no período que vai de abril a junho, subiu aproximadamente 21,2% na comparação anual,  o que significa cerca de R$23,6 bilhões, apesar de ter sido identificada uma queda na taxa de vendas.

Os resultados mostram que apesar da crise que afeta diretamente a economia nacional, a BR Distribuidora segue sendo umas das empresas mais rentáveis do país com amplas capacidades de gerar receita para o Estado brasileiro. Justamente por isso é que os poderosos monopólios internacionais pressionam o Brasil a privatizar totalmente a empresa e abrir mão dessa riqueza em nome dos lucros dos capitalistas estrangeiros. Valendo-se do governo entreguista de Michel de Temer, que assumiu a Presidência depois da destituição ilegal de Dilma Rousseff em 2016, os grandes monopólios imperialistas tentam a todo custo saquear as riquezas nacionais e todo patrimônio do povo brasileiro representado pelas empresas estatais. Diferentemente do que o governo argumenta, os dados mostram que as empresas estatais não são deficitárias, mas pelo contrário, tem grande potencial parta gerar recursos, o que não justifica sua privatização.

Vale ressaltar que no final do ano passado a Br Distribuidora abriu o seu capital ao mercado, abrindo mão de 30% de sua participação na empresa, o que é um verdadeiro crime contra a economia brasileira. A verdade é que foram os próprios monopólios imperialistas que financiaram o Golpe de Estado no Brasil com a clara intenção de tomar para si as nossas riquezas e encher os próprios bolsos com o dinheiro do povo brasileiro. Por isso é necessário dizer não à privatização das empresas estatais e combater a invasão das empresas imperialistas no Brasil.