Carestia
Em 2019, enquanto alugueis tiveram robusto reajuste, salário mínimo segue miserável
Organizada pelo MNLM, a ocupação Manoel Congo em um prédio abandonado do INSS na Cinelândia, no centro do Rio, é habitado por 42 famílias que convivem com obras paradas na ocupação
Ocupação Manuel Congo, Rio de Janeiro: Fernando Frazão/Agência Brasil |

3,3%, o reajuste dos salários; 7,3% o reajuste dos alugueis

Ao contrário dos salários, que obtiveram reajuste de 3,3%, os alugueis serão reajustados em 7,3% na virada do ano.

Isto por que os salários são medidos pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) – medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, (IBGE) – cuja variação no ano de 2019, é de 3,3%, ao passo que a variação do Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M) – medido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) – em 2019 foi de 7,3%.

Jornal Valor, da imprensa capitalista, de 27/12/2019, informa que a inflação medida pelo Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) acelerou de 0,30% para 2,09% entre novembro e dezembro, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Em 2019, o índice disparou, alta de 7,30%.

O repique de preços de carnes, que já obtivera expressivo aumento em novembro à taxa de 8,02%, teve nova puxada de preços, 19,57% em dezembro.

Índice de Preços no Atacado, 9,08%, antecipa carestia de 2020.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que responde por cerca de 60% do IGP-M, durante o ano de 2019 aumentou ainda mais, acumulando 9,08%.

A médio prazo os dois índices de inflação, IGP-M e INPC tendem a convergir para uma mesma taxa. Vale dizer, essa puxada na inflação do IGP-M, de 7,3% antecipa o que será a inflação dos trabalhadores que ganhem até 5 salários mínimos.

De prático, acontece o seguinte: de imediato o aluguel que o trabalhador passa a pagar é reajustado em 7,3%, ao passo que o reajuste de salário que recebe, é de meros 3,3%.

Em 2018, o reajuste dos alugueis foi por índice igualmente dobrado em relação ao índice de salários: 7,55% contra apenas 3,43% do reajuste de salários.

No governo golpista, salários sempre perdem dos rentistas que vivem de aluguel. Eis aí, de forma cabal, o presente de virada de ano do governo golpista, 3,3% de reajuste para quem vive de salários, mais que o dobro o reajuste para quem vive de alugueis (mais de 7,3%). Mais um nefasto presente do governo golpista.

Relacionadas