Ditadura do PSDB
Governando a máquina do estado e da cidade de São Paulo há décadas, PSDB elege prefeito e ainda aumenta seu salário.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
aprovacao_aumento_bruno_covas
Divulgação da Câmara de Vereadores de São Paulo no twitter omite do que se trata a lei aprovada | Reprodução Twitter

Na manhã da última segunda-feira (21), os vereadores de São Paulo, em sessão extraordinária, aprovaram um projeto de lei que aumenta o salário do prefeito Bruno Covas em 46%. Os proventos sairão de R$24.175,55 para R$35.462. São 11 mil reais a mais todos os meses na conta do prefeito, mas não é só isso.

Também o vice-prefeito e os secretários receberão aumentos equivalentes. O  vice-prefeito ao invés de R$21.700 passará a receber R$31.915,80 e os secretários, que recebiam R$19.340,40 irão ganhar R$30.142,70. Além disso, outros funcionários públicos agora poderão ultrapassar o antigo teto de R$24,1 mil e poderão ter seus salários aumentados até o novo teto, que é o valor do novo salário do prefeito. Os aumentos só valerão a partir de 2022.

A segunda e última votação foi realizada nesta quarta-feira (23). Foram 34 votos favoráveis, 17 contrários e 1 abstenção. PT a PSOL foram os únicos partidos que se posicionaram abertamente contra o projeto de lei na primeira votação, juntos eles somam 11 votos. Outros vereadores da direita também votaram contra. O projeto de lei agora irá para sanção do prefeito Bruno Covas.

Um detalhe sórdido sobre o ocorrido foi que os vereadores pegaram um projeto parado desde 2018 – sobre um aumento de 2,8% nos salários de alguns servidores do Legislativo – e modificaram o texto. Com isso, o projeto que aumentou o salário do prefeito também não precisou passar por comissões nem ter estudos técnicos sobre o impacto financeiro. A manobra é conhecida como “cavalo”.

O que ocorreu na Câmara foi um verdadeiro escândalo. No meio de uma pandemia histórica e uma crise econômica arrasadora, a direita se aproveitou do período de recesso de fim de ano para cometer um verdadeiro crime contra a população. Além de aumentarem os salários de prefeito, vice e deles próprios, também permitem que o alto funcionalismo aumente seus salários que já são altos.

Pelo ocorrido, fica claro o controle absurdo do PSDB sobre a máquina do estado e da prefeitura de São Paulo. Há 25 anos os governadores eleitos são todos do PSDB, uma verdadeira ditadura que é impossível de explicar dizendo que se trata da vontade popular. O estado de São Paulo só piora e o povo odeia o PSDB, o que há são fraudes e manipulações que mantem o PSDB no controle do maior estado do Brasil. A votação para aumento de salários em plena pandemia, quando grande parte da população, ou está desempregada, ou em empregos muito precários, é de um cinismo típico da direita brasileira. É um exemplo das prioridades que tem a burguesia e seus representantes políticos.

O quadro no Brasil é caótico, somos o segundo país em número de mortes absolutas pela Covid-19 no mundo todo! A direita ataca a população sem terra e sem moradia os expulsando de suas casas e dando a terra na mão de latifundiários e de empresas estrangeiras. Os direitos democráticos estão cada vez mais frágeis, nesse sentido, a direita permite que a extrema-direita contribua com suas práticas de extermínio e repressão. A fome e as dívidas fazem, cada vez mais, parte da vida de milhões de brasileiros que não possuem renda suficiente para arcar com as despesas básicas e com os aumentos de preços de alimentos e outros insumos. O auxílio emergencial terminou e dezenas de milhões de brasileiros, já a partir deste mês, passarão a ter renda igual a zero.

A manobra usada pelos vereadores, a semana escolhida para a votação e a rapidez com que foi aprovada mostram o verdadeiro crime que foi cometido contra a população. A direita que aprova esse tipo de manobra é aquela com a qual parte da esquerda, ou já se aliou, ou está se aliando. Dizem, tais esquerdistas, que se tratam de pessoas democráticas que ajudam na luta contra Bolsonaro. Mas, com uma direita que aprova algo tão absurdo, não precisamos de Bolsonaro para fazer o serviço sujo. Basta chamar o PSDB.

Tudo o que estamos vendo hoje serve de preparação para as próximas eleições presidenciais em 2022. As manobras na cidade de São Paulo, as manobras de Dória no Estado, os trambiques na Câmara dos Deputados, a briga política em torno da vacina, tudo está relacionado à estratégia da burguesia para 2022. Por isso, todas essas manobras precisam ser denunciadas como verdadeiras armadilhas para que a direita consiga eleger um candidato golpista.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas