Siga o DCO nas redes sociais

Ricos e a fuga do coronavírus
Enquanto os trabalhadores morrem, capitalistas alugam iates
Clientes multi milionários de empresas de iate de luxo fretam os navios por longos períodos de tempo e demonstram interesse em destinos remotos longes das pandemias
5e799c50e9ff712a55484789 (1)
Ricos e a fuga do coronavírus
Enquanto os trabalhadores morrem, capitalistas alugam iates
Clientes multi milionários de empresas de iate de luxo fretam os navios por longos períodos de tempo e demonstram interesse em destinos remotos longes das pandemias
O distanciamento social dos endinheirados é também medida básicas de proteção contra a pandemia.
5e799c50e9ff712a55484789 (1)
O distanciamento social dos endinheirados é também medida básicas de proteção contra a pandemia.

A arca de Noé era, já naquele tempo, excludente. Só a família de Noé poderia estar ali e, os demais seriam devorados pelas águas infinitas enviadas por Javé. Passados mais de 20 séculos pouca coisa mudou. Clientes multi milionários de empresas de iate de luxo fretam os navios por longos períodos de tempo e demonstram interesse em destinos remotos longes das pandemias e demais desgraças que afligem os mortais.

São iates de luxo que partirão do porto de Mônaco. Isso porque o caráter democrático do coronavírus alcançou Príncipes na Inglaterra e favelados no Brasil.

Contudo, o distanciamento social dos endinheirados é também medida básicas de proteção contra a pandemia do covid-19. A maneira pela qual esse distanciamento se materializa depende em grande parte da conta bancária de cada uma. Estamos falando de bilionários, gente pouca que vive nababescamente e, procuram combinar isolamento com viagens, fretando iates de luxo para esse fim.

A fina flor da burguesia quer distância dos meros mortais. Jonathan Beckett, executivo da empresa britânica de aluguel de iates Burgess, confirmou ao The Telegraph no domingo passado que a demanda por seus serviços aumentou desde o início da pandemia. Essa gente é cercada de serviçais eis que não sabem onde se consegue um copo de água sozinhos.

Os custos dessa aventura excluem, inclusive, muitos pares da burguesia dos andares mais modestos. Diz Jonathan Beckett: “As pessoas estão procurando maneiras de resistir à tempestade, e um iate em clima agradável não é um lugar ruim para se isolar “, disse Beckett, cuja empresa afretou os navios entre US $ 53.000 e US $ 1,1 milhão por semana.

Qual o tempo para se esconder do vírus e da horda de “zumbis” contaminados essa gente espera ficar? O executivo observou que atualmente os clientes reservam os navios por vários meses. “Uma família alugou um iate por nove semanas e também tivemos duas reservas de longo prazo para iates de 39 e 70 metros”.

Como na arca de Noé que, segundo a Bíblia a inundação narra que choveu durante 40 dias e 40 noites, e que após isso parou de chover. Mas, as águas permaneceram sobre a terra durante 150 dias. Eis aí o tempo em que os bacanas da burguesia mundial estão dispostos a alugar as arcas modernas de nosso tempo.

A burguesia endinheirada está levando a sério a pandemia e, providenciaram outros detalhes: “Os clientes providenciam que seus filhos recebam educação a bordo, com aulas de culinária do chef do iate. e passar um tempo com a equipe na sala de máquinas para aprender tecnologia “, disse o empresário, que observou um interesse crescente em destinos remotos como o Alasca, as Ilhas do Pacífico e o sul do Chile.

Nos EUA o pacote de Trump para salvar a burguesia incluía também transatlânticos, assim, essa tendência também é observada nos EUA, onde os super-ricos consideram que a melhor maneira de garantir o distanciamento social é estar em um barco, relata o Hollywood Reporter.

A burguesia como Noé se prepara para um novo Dilúvio. “De repente, as pessoas começaram a me pedir para alugar iates. […] Eles estão tão preocupados com o vírus que sentem que o lugar mais seguro é o alto mar “, citou o jornal Katie Provinziano, diretora administrativa da empresa Westside Nannies em Los Angeles.

Todos os cuidados estão sedo tomados para posicionar seus iates como refúgios seguros em tempos de pandemia. Informaram também que: “Todos os iates são higienizados entre grupos, na maioria dos iates  o ar é purificado  e os padrões de limpeza são muito altos. Alguns deles usam filtros de ar especiais que controlam a propagação de patógenos e o gerador o ozônio pode ser transportado de uma sala para outra para saneamento adicional “, cita Stefanos Makrymichalos, executivo do IYC.

O coronavírus veio modificar a vida burguesia e, os milionários que não seguirão em iates de extremo luxo a singrar os mares, adquiriram bunkers e contratam médicos para se protegerem contra o coronavírus.

Esse zelo e preparação para enfrentar um “resfriadozinho”, uma “remelinha no nariz”, uma “gripezinha de nada” dá o tom de quão desarmados estão os trabalhadores para enfrentar a grande pandemia do século. A desigualdade de condições na vida nos coloca em desigualdade de chances diante a morte.