Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
kim e trump
|

Em reunião realizada em Singapura entre Kim Jong-un, líder anti-imperialista norte-coreano, e o presidente extremamente direitista dos Estados Unidos, Donald Trump, Jong-un se comprometeu com o programa de desnuclearização proposto pelos Estados Unidos. Segundo Kim, os países teriam decidido “deixar o passado para trás”.

O documento assinado pelas duas nações contem quatro itens: 1) EUA e Coreia do Norte se comprometem a estabelecer relações de acordo com o desejo de seus povos pela paz e prosperidade; 2) Os dois países irão unir seus esforços para construir um regime de paz estável e duradouro na península coreana; 3) Reafirmando a Declaração de Panmunjon, de 27 de abril de 2018, a Coreia do Norte se compromete a trabalhar em direção à completa desnuclearização da península coreana; 4) Os EUA e a Coreia do Norte se comprometem a recuperar os restos mortais de prisioneiros de guerra, incluindo a imediata repatriação daqueles já identificados.

Entretanto, apesar do papel e dos discursos, a história comprova que é extremamente difícil para o imperialismo optar pela “paz e prosperidade” de algum país sobre o qual não têm um controle absoluto. Por isso, a declaração de Kim sobre “deixar o passado para trás” é extremamente ingênua, pois a realidade é que, com a desnuclearização da Coréia do Norte, a única coisa que vai acontecer será que os norte-coreanos estarão ainda mais ameaçados por uma invasão norte-americana.

É importante ressaltar que o imperialismo não quer saber de acordos, nem nada do tipo. A única coisa que o interessa são os lucros dos monopólios que controlam o mercado mundial – monopólios esses que são ameaçados pela política anti-imperialista da Coréia do Norte. Vale lembrar, que durante a negociação da reunião (agora realizada), os dois países entraram em tensão por conta de um treinamento militar de conjunto entre as Forças Armadas norte-americanas e sul-coreanas, indicando uma necessidade do imperialismo de fortalecer as ações militares dentro da península coreana.

Por isso, o compromisso de Kim com a desnuclearização é erro. E um erro gravíssimo. Pois se isto for realizado, não só a Coréia ficará vulnerável às invasões imperialistas, como permitirá que o imperialismo controle totalmente a península coreana, extremamente importante na geopolítica asiática, podendo servir de base estratégica para os imperialistas iniciaram uma ofensiva ainda mais ousada no continente.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas