“Encomenda ou morte!”: Capitão do Exército invade setor e faz trabalhadores dos Correios reféns

O clima de intervenção militar no Brasil, principalmente no Rio de Janeiro, onde os militares resolveram dominar a população sob a ameaça do fuzil, está levando a direita e membros do Exército achar que podem tudo.

No dia 08 de março, um capitão do exército carioca, de apenas 32 anos, armado de uma pistola invadiu uma agência dos Correios na cidade de Maricá/RJ, rendeu os funcionários e exigiu que sua encomenda que não estava ali, aparecesse de qualquer jeito, caso contrário iria matar alguém.

O militar desequilibrado colocou em risco os trabalhadores da agência e os usuários que ali estavam, um verdadeiro marginal, autorizado pelo Estado golpista a matar as pessoas na rua.

A polícia local apareceu no local para tentar livrar o sujeito do crime, que manteve trabalhadores e clientes da agência como refém por 4 horas, só aceitando sair da agência com a presença de outros militares do Exército, aonde sabe que não será punido, já que o país se encontra em um momento de intervenção militar geral.

Por muita sorte,o imbecil não ter atirado em ninguém, mas independente do crime de homicídio não ter se consumado, o sujeito passeou no Código Penal brasileiro, podendo ser enquadrado por ameaça e sequestro, no entanto, como sempre falamos aqui, a lei não é para os militares, mas para ser usada contra a população pobre e negra nas periferias das grandes cidades.

Essa é mais uma prova que não se pode dar poder a militares, pois são tão desequilibrados para tratar com o povo como qualquer bandido ou traficante.