Salário já pode ser suspenso
Acordo do setor hoteleiro com as direções sindicais deixa claro o aprofundamento da luta de classes diante da crise econômica.
carteira_empre_data2-850x567
Foto: Camila Domingues/Palácio Piratini. |

Os ataques aos trabalhadores diante da crise é incessante. Quando não acontece por parte do governo golpista de Bolsonaro, este ataque vem dos capitalistas. Em mais uma medida que aprofunda ainda mais os efeitos da crise econômica entre os trabalhares, o setor hoteleiro em parceria com os sindicatos, acaba de assinar um acordo que prevê a suspensão do salário dos trabalhadores. Essa medida já tinha sido lançada pelo governo, mas foi vetada devido a situação explosiva que geraria na sociedade.

Apesar do recuo do governo, os empresários obviamente não mudaram de ideia. O objetivo é jogar todo o ônus da crise nos trabalhadores para propiciar que os patrões consigam manter seus benefícios. Um retrato claro da luta de classes que fica ainda mais acentuada diante da crise capitalista.

O setor hoteleiro sai na frente com essa medida, não porque é o um dos setores mais afetados pela crise, mas sim porque tem os sindicatos mais fracos ou pelegos. Estes servem apenas para prestar um serviço burocrático de intermediação entre o trabalhador e patrão, muitas vezes em conluio direto com os interesse patronais. A CNTur (Confederação Nacional do Turismo) já enviou orientação para que os sindicatos façam adesão a suspensão dos salários. O acordo já foi assinado pelo SINTHORESP (Sindicato dos Trabalhadores em Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares de São Paulo e Região). Ou seja, a partir de hoje os trabalhadores já poderão ter os seus salários reduzidos, ou até mesmo totalmente suspensos com o aval dos sindicatos.

A política adotada pelo governo golpista é canalizar os recursos do Estado para salvar as grandes empresas, em detrimento da situação dos trabalhadores. Injetar dinheiro na economia para o governo fascista de Bolsonaro significa: dar dinheiro para os capitalistas colocarem no bolso. Não há nenhuma garantia para o trabalhador quando esses recursos são destinados a grandes e médias empresas. O trabalhador que se vire com a esmola proposta pela direita!

A medida adotada pelo setor não deve ser encarada como uma exceção. Este é o plano dos patrões e do governo golpista diante da crise. É uma estratégia conhecida da burguesia atacar os setores mais fracos da classe trabalhadora para conseguir ganhar espaço. Inevitavelmente a suspensão do salário dos trabalhadores chegará às classes mais bem organizadas. Por isso, a CUT precisa mobilizar seus sindicatos e todos os trabalhadores para barrar as medidas impostas pelo governo Bolsonaro e os capitalistas.

Não há nenhuma possibilidade de diálogo com um setor que, na melhor das hipóteses, não tem nenhuma política para a classes trabalhadora. Na pior, tem como objetivo escancarado matar o povo de fome.

Relacionadas