Empresa que ganhou o processo de privatização do Parque Nacional do Pau-Brasil está envolvida em esquema de fraudes em contratos de prestação de serviços

Concessao_Pau_Brasil_Ramilla_Rodrigues_42

A empresa que ganhou o processo de privatização do Parque Nacional do Pau-Brasil, em Porto Seguro/BA, Hope Recursos Humanos está sendo investigada em processo de fraude em contratos da Petrobrás. A investigação sobre irregularidades nos contratos de fornecimento de mão-de-obra terceirizada para a empresa estatal.

Segundo o site do Instituto Chico Mendes de Conservação (ICMBio), “os serviços poderão ser explorados por quinze anos. Nesse período, a empresa terá que fazer investimentos estimados em R$ 7,2 milhões para melhoria da infraestrutura de apoio aos visitantes no parque. Além disso, o edital prevê um repasse de R$ 6,7 milhões para o ICMBio no período do contrato.”

A motivação e os argumentos dados pelos bolsonaristas da direção do ICMBio e do ministro fascista são todos falaciosos e não serão cumpridos. Se já fizeram isso em outros contratos, porque não irão fazer o mesmo com esses contratos milionários? Todos sabemos que sim.

É de se estranhar que a Hope já “ganhou” outros dois processos de privatização de unidades de conservação: Parque Nacional da Serra dos Órgãos e Parque Nacional do Itatiaia.

No caso do Parque Nacional do Pau-Brasil quem vai garantir que a comunidade seja beneficiada com a privatização? E a população local que conhece bem a unidade de conservação e poderia ser beneficiada com a formação de Associações de guias locais? A resposta é simples: Não! Só há promessas do ministro fascista e da diretoria bolsonarista do ICMBio. Não há nenhuma garantia que a população local seja beneficiada e a possibilidade de visitação da população pobre local será com altas taxas.

Os exemplos dos serviços prestados após a privatização são péssimos e extremamente caros, empresas de telefone, água, luz e onde houve a entrega do patrimônio pública para as empresas privadas e quem foi prejudicado foi a população pobre e trabalhadora.

É preciso denunciar que o processo de privatização é a entrega do patrimônio público para que as empresas lucrem às custas da população e, nesse caso, em detrimento dos recursos ambientais e das últimas populações de Pau-Brasil do país.