Siga o DCO nas redes sociais

Empresa pune vigilante do Banco do Brasil em Brasília por participar de greve
Empresa pune vigilante do Banco do Brasil em Brasília por participar de greve

A empresa que presta serviços de vigilância para o Banco do Brasil em Brasília puniu vigilante, com o seu afastamento da agência da qual trabalha, por participar da greve da categoria que reivindica reajuste salarial e melhores salários.

Os trabalhadores na área de vigilância em Brasília se encontram em campanha salarial devido à políticas dos empresários do setor que estão aprofundando os ataques aos direitos conquistados com muita luta pela categoria ao longo de vários anos, tais como corte no tíquete alimentação, cesta básica, etc., e se opõem a reajustar os salários. A campanha salarial do ano passado que foi parar, através de dissídio coletivo, no golpista Tribunal Regional do Trabalho, só teve o seu julgamento em fevereiro deste ano quando dos juízes concederam como reposição apenas a inflação e sem que o reajuste seja retroativo a data base da categoria, ou seja, mais um golpe nos trabalhadores orquestrado pelos patrões e seus prepostos nos tribunais.

Em greve desde o últimdia 28 de fevereiro 2018 os vigilantes de Brasília se encontram em um forte movimento contra a intransigência dos patrões. O movimento grevista em defesa dos seus legítimos direitos está sendo atacado, não só pelos donos das empresas de vigilância, mas também pelo setor mais parasitário da economia que são os banqueiros. Conforme resolução do Banco Central as agências bancários estão proibidas de abrirem as portas sem a presença de vigilantes, com isso grande parte das agências bancárias da Capital Federal estão fechadas.

Como parte dos ataques ao movimento dos trabalhadores que estão em greve, os capitalistas estão na ofensiva para punir aqueles que estão lutando para manter as suas já precárias condições de vida. Foi o que aconteceu em uma agência do Banco do Brasil quando o vigilante da agência recebeu a notícia, mesmo estando em greve, de que ele não mais trabalharia naquela agência, que seria devolvido para a empresa para ser realocado. Todo vigilante sabe que o procedimento da empresa no caso de devolução para a empresa é a eminência demissão.

Os trabalhadores não devem aceitar mais esse ataque dos patrões. Esse fato deve ser amplamente denunciado, não só na categoria dos vigilantes, mas também para toda categoria bancária e de todos os trabalhadores com o objetivo de intensifica a luta contra a política da direita golpista que com o processo do golpe de Estado no país estão se sentido à vontade para liquidar com os direitos dos trabalhadores.