Preparando para a privatização
A ideia dos golpistas é entregar a Embraer para os monopólios estrangeiros, de forma semelhante ao que foi feito na famigerada era FHC
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
17/07/2014 – A Embraer venderá 60 jatos comerciais do modelo E190 para duas companhias chinesas. Foto: Antônio Milena/ Agência Brasil
Embraer | Antônio Milena/ Agência Brasil

A política da direita golpista para as estatais não é novidade para ninguém. Estão a todo o custo sucateado essas empresas para logo em seguida entregar, a preço de banana, para os capitalistas nacionais e internacionais.

É o que vem acontecendo com o patrimônio do povo brasileiro tais como os Correios, Petrobras, os bancos públicos, Eletrobrás, Dataprev, etc.

Essa política não é diferente com a Embraer, uma empresa que já foi uma das maiores estatais brasileiras, com uma produção comparável às maiores empresas do mundo em aviação, produzindo aviões comerciais, militar e aviões de pequeno porte, de qualidade internacional inegável.

A meta do governos golpista, e da direção da empresa, através dos sucessivos Planos de Demissões “Voluntária” (PDV), tem o claro objetivo de realizar uma operação de desmonte na empresa, uma das maiores do mundo, visando enxugar os gastos e as despesas por meio do corte de milhares de trabalhadores com o objetivo de pavimentar o caminho da sua privatização, conforme já declarou diversas vezes o tresloucado Ministro da Economia, Paulo Guedes, que tem que privatizar tudo.

A ideia dos golpistas é entregar a Embraer para os monopólios estrangeiros, de forma semelhante ao que foi feito na famigerada era FHC quando este deu de presente praticamente todas as empresas estatais, como o caso da Vale do Rio Doce que foi doada para os capitalistas internacionais por 0,01% do seu valor.

A Embraer corre um sério risco de privatização. O governo ilegítimo Bolsonaro é um capacho do governo norte-americano e dos países imperialistas, que querem a qualquer custo expropriar, ainda mais, os trabalhadores e tudo da população com um objetivo claro de aumentar os seus lucros.

Para barrar a ofensiva reacionária da direita fascista, contra os trabalhadores e da entrega do patrimônio do povo, é necessário romper com a paralisia e a capitulação das direções das entidades representativa dos trabalhadores. É obrigação do sindicato de mobilizar os trabalhadores da Embraer contra a política bolsonarista de fazer com que os trabalhadores paguem pela crise.

Diante desse brutal ataque a direção do Sindicato em São José dos Campos, hoje dirigida pelo PSTU/Conlutas, não organizou qualquer luta real contra a privatização, ao contrário, diante aos ataques do governo em plena pandemia do coronavírus, se calou quando implantaram MP 936/2020, que rebaixa os salários dos funcionários e suspende o contrato de trabalho.

É necessário a reação dos trabalhadores para evitar uma nova capitulação da burocracia sindical. Exigir que o sindicato organize imediatamente a mobilização e que se utilize todos os meios necessários, desde a greve como, também a ocupação das suas instalações.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas