A Saúde do Golpe
Pessoas dormindo no chão de hospital, numa temperatura de 12ºC, é o retrato de como o golpe sucateou o sistema público de saúde
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Foto: Reprodução
Paciente e acompanhante no Hospital de Base de Conquista-BA | Foto: Reprodução

Uma acompanhante de uma paciente fez um vídeo denunciando as péssimas condições do Hospital de Base de Vitória da Conquista. Uma das maiores cidades do interior da Bahia mostra a incapacidade dos governos burgueses de prover o mínimo do mínimo das condições de saúde necessárias para salvar a vida da população. A denúncia mostra pessoas deitadas em colchões no chão ao lado de pacientes nas macas, banheiros sujos, sem estrutura mínima e vasos sanitários sem tampa.

Vitória da Conquista está localizada numa região de planalto e, durante a madrugada do dia 29, quando o vídeo foi feito, chegou a fazer 12ºC. O hospital não forneceu lençol ou cobertor, como é de praxe em hospitais públicos país afora. Não havia álcool gel na enfermaria nem sabão nos banheiros.

A saúde vem sendo sucateada a partir do momento do golpe de estado contra a presidente eleita Dilma Roussef e, de lá para cá, a situação de precariedade tem aumentado enormemente. À medida em que o golpe avança, se aprofundam os ataques à população em todas as áreas necessárias ao bem-estar do povo. Principalmente do povo pobre. Vemos ataques à educação, cultura, benefícios sociais (mesmo que pífios), emprego, salários etc.

O governo Bolsonaro, que assumiu o poder sob a maior fraude da história eleitoral brasileira, com o apoio da burguesia implanta uma política na área econômica que é de devastação total. O neoliberalismo radical do doido varrido do sr. Paulo Guedes que transfere o dinheiro do povo para poucos empresários e banqueiros é exemplo de como a burguesia de conjunto tem realizado ataques ferozes contra a população. A aprovação do fim da aposentadoria pelo Congresso é outra prova disso.

Os ataques não vão parar e sabemos que existe uma lista extensa de alvos que os golpistas querem atingir. Não há outra forma de luta que não a mobilização popular, que serve tanto contra esses ataques que virão como para reverter os ataques sofridos. A esquerda deve se unir imediatamente, com suas organizações de luta, seus sindicatos e partidos políticos para extirpar a extrema direita das ruas, exigir Fora Bolsonaro e Todos os Golpistas e eleições realmente democráticas aonde o povo tenha liberdade para escolher seu governante. Essa é a luta que está colocada no momento.

As lutas parciais para retirar este ou aquele ministro já se provaram infrutíferas. Com atraso a esquerda no atual momento resolveu se unificar em torno da palavra de ordem de Fora Bolsonaro. É hora de trabalhar mais forte para que os trabalhadores e o povo se unam e derrotem o golpe e os fascistas. É preciso entender que nessa luta só há um lado vencedor. A polarização já mostrou que não há acordo com golpistas e a extrema-direita. Também não haverá vitória na união da esquerda com a direita “cheirosa” que pariu o Bolsonaro. A esquerda deve se apoiar no povo e não numa direita que está morta e procura de tudo para se reerguer.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas