Siga o DCO nas redes sociais

Armamento
Em último dia no cargo, Dodge tenta derrubar decretos sobre armamento
Raquel Dodge, em seus últimos momentos no cargo, afirma que os decretos de Bolsonaro vão contra o Estatuto do Desarmamento e tenta derrubá-los
des (6)
Armamento
Em último dia no cargo, Dodge tenta derrubar decretos sobre armamento
Raquel Dodge, em seus últimos momentos no cargo, afirma que os decretos de Bolsonaro vão contra o Estatuto do Desarmamento e tenta derrubá-los
Raquel Dodge faz balanço sobre seu mandato. Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Ag.Brasil
des (6)
Raquel Dodge faz balanço sobre seu mandato. Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Ag.Brasil

Da redação – Nessa terça-feira (17), em seus últimos momentos como procuradora-geral da República, Raquel Dodge pediu ao STF para que fossem derrubados todos os decretos realizados pelo presidente golpista Bolsonaro que tornaram flexível a posse e o porte de armas no Brasil.

Dodge ainda se manifestou a favor das ações apresentadas pelo partido Rede Sustentabilidade e pelo PSOL, ao STF, que objetivam barrar os decretos que facilitam o acesso às armas de fogo. A ministra Rosa Weber é a relatora dessas ações, contudo ainda não há data prevista para o julgamento.

Bolsonaro já editou sete vezes os decretos que facilitam o acesso às armas. Sobre isso, Dodge afirmou: “Os três decretos atualmente vigentes mantiveram, em grande parte, as inconstitucionalidades apontadas […]. Em outras palavras, os novos decretos extrapolaram a função regulamentadora e invadiram campo reservado à lei”

Para Dodge, os decretos do presidente golpista estão em “descompasso” com o Estatuto do Desarmamento. É certo que o objetivo de Bolsonaro não é armar a população contra as violências sofridas pelo Estado, mas, sim, dar carta branca à burguesia, aos latifundiários e grandes fazendeiros, a todos os direitistas, para continuarem matando negros e pobres. É disso que se tratam os decretos de Bolsonaro. No entanto, é possível que haja brechas para parte da população oprimida utilizar armas legalmente, e é com isso que a burguesia está preocupada – daí as tentativas de impedir ao máximo o armamento.