Em Santo André (SP): abono de natal para os servidores não, dinheiro só para os empresários

img_0890-not1945

O Sindicato dos servidores públicos de Santo André, iniciou no final do mês de novembro campanha para que o Prefeito de Santo André Paulo Serra (PSDB), pagasse aos servidores abono Pecuniário de Natal no valor de R$ 700,00 para todos os servidores e servidoras andreenses, ativos e inativos.

O pedido que havia sido feito, como uma das reivindicações durante campanha salarial, em março deste ano, ganhou força, ao prefeito efetuar a troca da carteira dos servidores entre o banco que passará a gerir os recursos destinados aos pagamentos dos servidores públicos. Com o Santander que venceu licitação contra o Banco do Brasil e que isso gerou ao município um aumento da arrecadação dos cofres públicos, frente a isso ocorreu novamente à solicitação do sindicato.

Em recente entrevista à canal de televisão da região, no dia 18 de dezembro, , o prefeito tucano afirmou publicamente que as finanças do Município estão sob controle e há dinheiro em caixa.

Propagandeando a política neoliberal implementada, o Tucano disse ao canal:

“Com o novo modelo de gestão” implementado nos dois anos de mandato foi possível reduzir despesas e aumentar a arrecadação. “Vendemos carros oficiais, devolvemos imóveis alugados,  cancelamos  quatro milhões de reais do dinheiro público que seria destinado ao Carnaval, reduzimos 40% dos cargos e geramos uma economia de R$ 20 milhões por ano, ou seja, 40 milhões em dois anos. E com a venda da frota de carros oficiais arrecadamos R$ 1 milhão”, disse.

Ou seja, mesmo ganhando para o caixa com a transação entre a carteira dos servidores entre bancos, mesmo atacando festa popular na região como é o Carnaval, que há três anos não ocorre na região, mesmo oferecendo no ano miserável abono salarial de R$ 100,00, mesmo não oferecendo reajuste salarial e por mais dinheiro em caixa que aja não serão os servidores que serão beneficiados. O prefeito anunciou que o dinheiro em caixa será para os fornecedores da prefeitura, leia-se empresários.

Se aproximando a próxima campanha salarial desta categoria, os trabalhadores devem ter em mente que a única forma de fazerem seus direitos serem respeitados, será a mobilização de rua dos servidores, com manifestações e paralisações, caso contrário, apesar de dinheiro em caixa, nenhum centavo irá para o bolso dos trabalhadores.

O último abono de Natal no valor de R$ 700,00, recebido pelos servidores e servidoras do município em janeiro de 2016, ocorreu na gestão do petista Carlos Grana.