Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
06/07/2017- Brasília- DF, Brasil- Presidenta, Gleisi Hoffmann, durante  primeira reunião do novo Diretório Nacional do PT. reunião. Presidente Lula. 
Foto: Lula Marques/AGPT
|

O Supremo Tribunal Federal, por meio da Segunda Turma,  marcou o julgamento da ação penal contra a presidenta do PT e senadora, Gleisi Hoffmann (PR), para a próxima terça-feira (19).  A ação penal é parte da perseguição política ao PT – e em particular à senadora, por sua conduta decidida e combativa na luta contra o golpe de Estado, pela liberdade do ex-presidente Lula e por sua candidatura – por parte da golpista operação Lava-jato, que a originou, e do golpe em geral. Expressa o recrudescimento da perseguição política da repressão do regime golpista a toda forma de oposição.

Na última semana o ministro revisor da golpista e ilegal Lava-jato na Corte, Celso de Mello, liberou o caso para o julgamento, o ministro Ricardo Lewandowski, presidente da Segunda Turma marcou a data do julgamento da acusação falsa contra a senadora e seu marido Paulo Bernardo. Acusação que não deveria nem mesmo ter sido aceita, caso a Corte estivesse comprometida minimamente com o devido processo legal.

É uma acusação claramente forjada, fruto de delação premiada feita sob medida e sem qualquer prova material, como é de praxe na operação golpista, que gerou a denúncia. De acordo com um delator, Paulo Roberto Costa, à Lava jato, Gleisi,  por meio de Paulo Bernardo, também acusado, teria pedido e recebido, em 2010, dinheiro que poderia ter saído de “esquemas” da Petrobras.

Evidentemente, nada de concreto existe na acusação. O que existe de fato é uma operação orquestrada de perseguição política permanente, levada adiante pelos golpistas da Lava-jato e as instituições  golpista em geral contra a senadora, contra o PT e a esquerda nacional.

Trata-se de mais um golpe inadmissível. A Segunda Turma do STF tem, por obrigação, que respeitar a lei e inocentar a senadora Gleisi, de acusação infundada. É necessário se mobilizar para impor que a Corte, que se destaca por rasgar e jogar fora, a cada julgamento,  novas páginas da Constituição, respeite a lei e os direitos democráticos da senadora e de todos os brasileiros.

Em nota a presidenta do PT denuncia a perseguição política disfarçada de acusação. Leia aqui a nota:

Recebi com serenidade a notícia de que a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) deve julgar, na próxima terça-feira (19), a ação penal em que fui injustamente denunciada, sem qualquer prova ou indício de crime.

Trata-se de acusação forjada nos subterrâneos da Lava Jato, onde criminosos condenados negociam benefícios penais e financeiros em troca de delações mentirosas, que servem à perseguição política contra o PT e os nossos dirigentes.

No meu caso, a cada falsidade desmascarada durante o processo, os criminosos foram mudando seus depoimentos e mentindo cada vez mais. É escandaloso que a Procuradoria Geral da República (PGR) tenha oferecido denúncia contra mim em vez de punir os que são acobertados pela Lava Jato.

Há quatro anos, aguardo o desfecho dessa trama. Nada vai apagar o sofrimento causado a mim e a minha família, os danos a minha imagem pessoal e política, mas vejo com alívio o dia em que a Justiça terá a oportunidade de me absolver e restaurar a verdade.

Senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR)

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas