“Em nome da paz”: Direita e PCdoB pedem aumento da repressão policial

paranagua

Na última quinta-feira (10), ocorreu em Paranaguá-PR mais um ato de cinismo da direita: uma manifestação pedindo mais segurança. A carta enviada pelos manifestoches às autoridades desenha um cenário de caos da segurança pública e o atribui à falta de policiamento e de repressão por parte do Estado, ignorando que o caos social no país (mais de 14 milhões de desempregados) é resultado da política assassina dos golpistas, os mesmos derrubaram Dilma e atacaram todos os direitos sociais e trabalhistas,  não da falta da polícia dar tiro na população. Alguns dados que a direita não mostra:

https://www.causaoperaria.org.br/em-guerra-contra-a-populacao-pm-matou-5-mil-pessoas-em-1-ano/

https://www.causaoperaria.org.br/caso-marielle-por-que-a-imprensa-nao-acusa-a-policia/

https://www.causaoperaria.org.br/video-pm-agride-idoso-em-ceilandia/

https://www.causaoperaria.org.br/limpeza-social-morador-de-rua-e-assassinado-por-pm-em-salvador-2/

Vencido o cinismo da direita, que assina em baixo de todos os crimes dos golpistas contra o povo, o absurdo da manifestação é que, além das entidades de direita que chamaram o ato e assinaram a carta, consta junto a UBM (União Brasileira de Mulheres) entidade ligada ao PCdoB (Partido “Comunista” do Brasil) pedindo “em nome da paz” mais repressão policial por parte do Estado capitalista.

O caso mostra mais uma capitulação vergonhosa do PCdoB, que em meio à prisão de Lula e ao golpe de Estado no país, ao invés de priorizar a luta pela liberdade de Lula, o maior representante dos trabalhadores que estão comendo o pão que os golpistas amassaram, procura se aliar para manter seus cargos em torno do Ciro Abutre Gomes e “virar a página do golpe”.

É preciso dizer a realidade para a população de que o aumento da repressão nunca resolveu nada para os trabalhadores, a repressão sobre a “criminalidade” não é a repressão contra os banqueiros e grandes empresários que roubam massivamente todo o povo e controlam o Estado, as polícias e as forças armadas, mas sim contra um ou outro trabalhador que, esmagado pela opressão do sistema capitalista, acaba marginalizado nas drogas e em crimes como roubo, furto, entre outros.

Essa direita que pede segurança é a mesma que cruzou os braços em todas as medidas que os golpistas aprovaram, da derrubada ilegal de Dilma, passando pela entrega do pré sal, pelo congelamento de 20 anos da saúde e da educação, até a prisão ilegal de Lula. Ou seja, a direita é a maior responsável pela insegurança no país.

Aos que querem lutar por seus direitos e pela defesa dos trabalhadores sem cair na demagogia da direita e da esquerda que abandonou Lula, o caminho é o fortalecimento dos Comitês de Luta Contra o Golpe, que reúnem os setores mais combativos do movimento sindical, popular e estudantil e já colaram mais de 100 mil cartazes pela liberdade de Lula.

Lula é um preso político novamente e só cresceu nas pesquisas desde que foi preso. É preciso seguir e intensificar as colagens, as panfletagens, as caravanas, as agitações e propaganda nas ruas pela liberdade de Lula e contra os golpistas. A saída para o povo não é a PM assassina, não é a guarda municipal que acaba de ganhar mais armas para usar contra o povo, não é o judiciário, não é Ciro Gomes, nem qualquer outro abutre. O candidato do povo é Lula!