Interior de SP
São José do Rio Preto e Sorocaba já experimentam medidas de racionamento de água. Em meio à pandemia, os tucanos deixam a população paulista sem abastecimento de água
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
falta-de-agua-970x550
Racionamento de água atinge diversas cidades do interior de São Paulo | Reprodução

A pandemia do coronavírus coloca o abastecimento de água como um dos fatores fundamentais para a saúde e proteção da população. Para piorar, o interior de São Paulo registrou temperaturas recordes em várias cidades nesta última semana. Ilha Solteira registrou 44,8ºC, Araçatuba 24ºC, São José do Rio Preto,  40ºC.

Os reservatórios de água estão secando e já há racionamento em diversas cidades do interior paulista.  Na cidade de São José do Rio Preto, cerca de 180 mil moradores ficam sem água nas torneiras das 13h às 20h. Em Sorocaba, cinquenta mil moradores foram afetados pelas medidas de racionamento.

A estiagem é uma das mais severas dos últimos cinquenta anos no noroeste de São Paulo. No rio do Turvo, um dos principais do estado, o nível da água chegou um um recorde de tão baixo. No córrego Barra Grande, afluente do Rio Preto, o nível também recuou.

O coronavírus continua a avançar pelo país. São cerca de 4,9 milhões de casos confirmados e 146.352 óbitos registrados. O estado de São Paulo é um dos epicentros mundiais da doença e o estado que tem maior número de confirmações e mortes do Brasil. O racionamento de água não é aleatório, mas é resultado de três décadas de ditadura do PSDB.

Os tucanos controlam a máquina política de São Paulo há trinta anos ininterruptos. O estado é colocado a serviço do acúmulo de capital das empresas transnacionais e dos grandes bancos. O capital financeiro internacional estabeleceu uma verdadeira ditadura em São Paulo, mascarado com um verniz democrático, pois supostamente os tucanos são eleitos pelo povo paulista.

O atual governador João Doria é um destacado bolsonarista. A prioridade de seu governo é fortalecer e expandir o aparelho de repressão policial por todo o estado, construir mais prisões, aperfeiçoar os mecanismos de repressão política, aniquilar com os direitos dos servidores públicos e entregar o patrimônio estadual para o capital financeiro internacional. Inclusive, Doria criou mecanismos de espionagem dos cidadãos paulistas por meio de seus celulares.

A pandemia evidencia qual o caráter de seu governo. Nada foi feito de concreto para atender as necessidades da população, assolada pela pandemia e agora pelo racionamento de água. Este último é um elemento que aprofunda a flagrante deterioração das condições de vida do povo. Diante dos problemas de abastecimento de água, os tucanos dizem que a responsabilidade é das condições naturais, o que não passa de uma grosseira tentativa de manipulação política.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas