Haverá mais nos próximos dia
A Azul demitiu cerca de 500 funcionários nesta quinta (02) e planeja desligar outros 500 nos próximos dias, adotando as medidas aprovadas por Bolsonaro.
Sede da Azul em Barueri - 1
Sede da Azul em Barueri teve 100 demitidos nesta quinta (02). | Foto por: Rodrigo Albertini/Folha de Alphaville

Nesta quinta (02) a Azul Linhas Aéreas, uma das principais companhias de aviação do país, demitiu cerca de 500 funcionários de diversas unidades de uma só vez.

Foram demitidos funcionários de setores de Call-Center, hangares de manutenção, centros de treinamento, em diversas cidades, como em Campinas (200 funcionários), Barueri na sede (100 funcionários), em Belo Horizonte, 200 funcionários dos aeroportos da Pampulha e Confins. Ao todo sindicatos das categorias estimam uma redução de 36% em cada região.

Pior, a empresa ainda está colocando em prática as novas regras criadas pelo governo Bolsonaro, tratando individualmente com funcionários sobre licença não remunerada, aposentadoria antecipada e demissão voluntária.

A empresa divulgou que espera na próxima semana desligar novamente cerca de mais 500 funcionários, sob alegação da crise econômica decorrente das restrições de circulação por conta da pandemia do coronavírus.

Relacionadas