Em mais uma operação criminosa, exército de Israel usa gás lacrimogêneo contra recém-nascido e prende 13 palestinos

Israeli soldiers stand at the scene of a stabbing attack near the West Bank Jewish settlement of Efrat
Ramallah, 7 mar (Prensa Latina) – As forças israelenses detiveram hoje 13 palestinos, inclusive cinco ex-prisioneiros e uma mulher durante operações noturnas em vários distritos da Cisjordânia, denunciou aqui a Sociedade de Presos Palestinos (PPS).
Essa organização agregou em seu informe que as tropas de ocupação também causaram em um bebê de 40 dias uma asfixia por gás lacrimogêneo utilizado nas operações.

A PPS confirmou que as forças israelenses detiveram cinco palestinos do distrito de Jenin, no norte da Cisjordânia; especificamente na cidade de Silat a al-Harithiya e no campo de refugiados de distrito.

Os soldados abriram fogo contra os jovens locais que protestaram pelo ataque; no entanto, não se informaram mortos nem feridos.

No distrito de Jerusalém, as forças israelenses realizaram uma jornada na cidade de Qatanna, onde detiveram três palestinos após saquear as casas de suas famílias.

A PPS confirmou que outro cidadão foi detido no distrito central de Ramallah; enquanto no sul da Cisjordânia, dois palestinos, incluído um ex-prisioneiro, foram detidos no distrito de Belém.

No também sulista distrito de Hebron, dois palestinos, inclusive uma mulher, foram presos.

Como motivo do Dia Internacional da Mulher, a celebrar-se amanhã, a PPS divulgou que Israel mantém encarceradas 50 mulheres palestinas por sua atividade de resistência, incluída uma detenta em detenção administrativa (presa sem direito a julgamento).