Em livro de 2016, Fux argumenta que qualquer candidato na situação de Lula deveria poder participar das eleições

fux_

O ministro do STF Luiz Fux, que também integra o Tribunal Superior Eleitoral, tem sido um verdadeiro militante dos interesses do imperialismo. Principal defensor das fake news, Fux sequer titubeou para negar o habeas corpus ao ex-presidente Lula. Ni entanto, Fux não vem perseguido Lula por questões de “princípios” – o ministro é capaz até mesmo de se contradizer para manter o ex-presidente excluído do Regime Político.

Em livro publicado em 2016, Fux deixou bem clara sua posição em relação ao direito de réus com processo em andamento serem candidatos. Segundo Fux, no livro Novos Paradigmas do Direito Eleitoral, sempre que houver possibilidade de um candidato reverter eventual condição de inelegibilidade, a lei garante que o candidato “prossiga na corrida eleitoral”.

Ou seja, se Fux fosse coerente com o aue escreveu há dois anos, o ministro do STF e do STF deveria defender o direito de Lula participar das eleições. No entanto, Fux não está minimamente interessado em ser coerente – seu único objetivo é sevir de capacho para o imperialismo.

E é justamente por isso que Fux declarou, na última terça-feira, que Lula não poderia ser candidato para “forçar uma situação”. A liberdade de Lula e sua candidatura não virão do TSE. É necessária uma mobilização revolucionária dos trabalhadores pela liberdade de Lula. Lula ou nada!