Siga o DCO nas redes sociais

França
Em greve, Ópera de Paris apresenta Lago dos Cisnes ao ar livre
Ópera de Paris está de greve há 15 dias, sendo que é a primeira vez que a instituição entra em greve na história, demonstrando o nível da luta dos franceses contra o governo Macron
download (1)
França
Em greve, Ópera de Paris apresenta Lago dos Cisnes ao ar livre
Ópera de Paris está de greve há 15 dias, sendo que é a primeira vez que a instituição entra em greve na história, demonstrando o nível da luta dos franceses contra o governo Macron
Foto: MAG
download (1)
Foto: MAG

Os dançarinos e músicos da Ópera de Paris resolveram realizar uma das maiores obras primas do Ballet mundial na rua, para que todos os trabalhadores em greve na França pudessem assistir, “O Lago dos Cisnes” do russo Piotr Ilitch Tchaikovski. A exibição foi parte dos protestos contra a reforma da previdência de Macron, que acabou por mobilizar a classe trabalhadora contra a proposta do governo.

Os membros da Ópera de Paris já haviam aderido às greves que estão se espalhando pelo país, pois além de aumentar o número de anos de 62 para 64 para que os trabalhadores consigam se aposentar, a proposta de Macron prevê também a extinção de 42 formas especiais de aposentadoria, o que atingiria em cheio a Ópera de Paris e a Comédie Française, pois com a extinção de sua aposentadoria especial, os trabalhadores das duas instituições passariam diretamente a se aposentar aos 64 anos de idade, quando hoje conseguem a aposentadoria aos 42 anos.

O regime de trabalho para os bailarinos é intenso e começa muito cedo. Algumas bailarinas começam aos 8 anos de idade com os treinamentos, passando por rotinas que chegam a 5 horas diárias de dança. Muitos se queixam de doenças crônicas, tendinites e fraturas, além do estresse e não é raro que não completem o ensino médio para se doar exclusivamente à dança.

Além de desumano, pois o trabalho começa cedo demais, a extinção do regime especial de aposentadoria coloca também em risco as próprias instituições de arte, o que levou os bailarinos a estenderem faixas em que é possível ler “A cultura em perigo” e “Ópera de Paris em greve”.

É a primeira vez na história que a Ópera de Paris entra em greve, o que já dura mais de 15 dias e gerou um prejuízo de 8 milhões de euros para a instituição.

Acompanhe um trecho da exibição a seguir: