Estatizar já
Decisão ocorreu na sexta-feira (31)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
toffoli
Presidente do STF, Dias Toffoli | Foto: STF

Foi suspensa, nesta sexta feira (31) a lei que concedia desconto nas mensalidades das instituições de ensino privado no Rio de Janeiro, a decisão foi tomada pelo Presidente do Supremo Tribunal Federal Dias Toffoli. A Lei garantia um desconto de 30% sobre o valor da mensalidade escolar acima do piso de R$ 350,00.

Efetivamente a atitude do ministro transfere a pressão da crise para o estudante do ensino privado, este agora se encontra em uma posição ainda mais delicada pois caso queira continuar matriculado, terá que pagar integralmente a mensalidade de sua escola ou universidade sem que haja condições de receber uma educação de qualidade e expondo sua saúde a risco. Ele está colocado entre o EAD, marca do sucateamento do ensino e inacessível para um grande parte da população e a volta às aulas presenciais sobre o perigo de contaminação tanto sua quanto de seus próximos, professores, familiares.

Essa decisão de Dias Toffoli vem para atender os interesses dos tubarões do ensino privado, interesses fundamentalmente econômicos e que nada tem a ver com qualquer preocupação relacionada à educação. A burguesia de conjunto busca com isso a volta às aulas presenciais, basta ter em mente que as instituições de ensino funcionando normalmente cumprem também o papel de movimentar parte da economia de determinada cidade. Isso se caracteriza como um verdadeiro genocídio dado o momento em que a pandemia está completamente fora de controle.

Isso é apenas mais uma amostra do descaso da burguesia e seu governo presidido pelo fascista Jair Bolsonaro tem com a população. É necessário se opor a essa política, organizando os estudantes, professores, técnicos e familiares para se mobilizar com as palavras de ordem de Fora Bolsonaro e todos os golpistas, não ao ensino a distancia, não as aulas presencias, nada de mensalidades durante a pandemia, volta às aulas somente com o fim da crise sanitária e sob decisão das organizações dos mais interessados, os estudantes.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas