Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit

Em uma entrevista a golpista Band News, para tratar sobre a intervenção militar no Rio de Janeiro, o General do Exército Augusto Heleno, ex-comandante militar da ocupação no Haiti, revelou o regime de terror estabelecido naquele país pelas forças de ocupação da ONU e que ele comandou por determinado período.

Apresentado como especialista em segurança pública, o General defendeu na entrevista, sem nenhum constrangimento, pelo contrário, que o interventor do Rio possa ter a mesma flexibilidade, que o exército possa dispor das  “regras de engajamento”, que tivera ele no Haiti. Na opinião do General o que foi feito no Haiti deve também ser feito no Rio de Janeiro. O grau de terror e violência que sofreu o Haiti revelado na fala do general, e que ele quer impor aqui, constrangeu até mesmo os direitistas da BandNews.

O General destacou que no Haiti ele e seus subordinados tinham o poder de determinar a execução de quem quer que seja. Segundo mesmo:

“No Haiti regras de engajamento que permitiam que o sujeito que oferecesse perigo real a sociedade, que fosse o portador ou fosse ator de um ato ou intenção hostil, vejam a flexibilidade que dava a mim  e também ao comandante da cena…”  “…os meus comandantes até nível sargento tinham o poder para decidir se aquilo que estava acontecendo era uma ato ou intenção hostil e diante desta constatação podiam agir chegando até a letalidade, podia matar o indivíduo”.

Sob a orientação do imperialismo mundial, a ONU submeteu um país soberano a um regime de pavor, de arbitrariedade, da massacre, de genocídio pouco antes visto na história, utilizando-se, inclusive de países latino-americanos como o Brasil para participarem deste episódio sombrio da História recente. A ONU determinou, com a justificativa estabilizar o país, sua ocupação militar por tropas estrangeiras. A ocupação transformou-se em regime antidemocrático, violento, cruel e corrupto, um regime de escravização povo haitiano. Tudo isso para atender os interesses do imperialismo.  

Para um ação tão monstruosa, inglória, vergonhosa, recorre-se  sempre a indivíduos igualmente baixos, escória, poeira de humanidade, como é o caso deste General, que não só reconhece com todas as letras que comandou a invasão de um país, estabeleceu um regime sem leis, baseado na força das armas contra a população local, no qual o chefe militar determina que vive e que morre, que promoveu assassinatos e sabe-se lá o que mais, ainda recomenda este “expediente” contra a população de seu próprio país.

Essa é a mentalidade do Alto Comando das Forças Armadas, os mesmos que apoiaram o golpe de Estado e que querem aprofunda-lo estabelecendo uma ditadura militar no país, estes sempre estiveram a serviço do imperialismo e contra o povo, seja de outro país, seja do seu próprio.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas