lula-onu_2009-2
|

Da redação – Marcado para amanhã (25), julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre pedido de liberdade para Lula tende ser adiado. A desculpa dos ministros da 2ª turma é de que não haverá tempo para discutir a pauta, que segundo eles é o 12º da pauta.

Porém, todo mundo sabe como funciona essa “pauta”. Discutem o que for importante para os interesses dos grupos que compõem o STF. Uma pauta importante para a população de conjunto, como a liberdade de Lula, pode ser colocada na 12ª posição da pauta, enquanto algo de menor importância vai para o 1º ponto. Tudo depende da decisão dos próprios ministros do STF.

Como os golpistas estão em uma encruzilhada, por conta dos vazamentos da operação Lava Jato sobre a conspiração ilegal de Sérgio Moro e os procuradores para prender Lula sem provas e manter os amigos políticos sem investigação, a burguesia não quer decidir sobre o caso agora.

Na 2ª turma, os três ministros que ainda faltam para votar – Lewandowski, Mendes e Celso de Melo – são ligados a setores da burguesia que querem acabar com a operação Lava Jato. Pelo menos, é o que ficou demonstrado pelas últimas votações dos ministros no caso de Lula, da prisão em segunda instância e assim por diante. Isso porque a Lava Jato é uma ofensiva de setores da burguesia imperialista que querem destruir, não só a esquerda (principal alvo), mas também grupos dominantes da burguesia nacional.

Esta encruzilhada e crise política dos golpistas, está fazendo com que os golpistas tentem chegar a um acordo. Os setores mais alinhados aos interesses da burguesia ameaçada pela Lava Jato deverão decidir se mantém a prisão de Lula, e aí confirmarão o vale tudo da Lava Jato, e colocarão seus aliados em uma situação complicada – ou se libertam Lula e acabam de uma vez por todas com os absurdos da Lava Jato, e desta forma dão segurança para seus aliados. Precisam de tempo para realizar um acordo ou não. Por isso, estão adiando.

Isso mostra que o STF não é um instrumento sério, no qual se pode confiar para conseguir a liberdade de Lula. Pelo contrário, ali, tudo pode acontecer. A única alternativa correta para garantir a libertação do preso político dos golpistas é a mobilização permanente, nas ruas, bairros e locais de trabalho para derrotar os golpistas e conquistar a liberdade de Lula pela força.

Relacionadas