Em comemoração aos 30 anos do MST em Minas Gerais, latifúndios pertencentes a Eike Batista são ocupados

mst-eike

Neste dia 5 de julho, mais 400 famílias sem-terra ocuparam o quarto latifúndio pertencente ao grupo falido MMX, do empresário Eike Batista no município de São Joaquim de Bicas, no estado de Minas Gerais.

As ocupações fazem parte das comemorações dos 30 anos do Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra em Minas Gerais, celebrando três décadas de resistência e luta pela reforma agrária.

A reação dos latifundiários foi imediata e violenta. As famílias denunciam a ação truculenta e ilegal da policia militar, serviçal da burguesia e dos latifundiários. Mesmo com a conduta violenta da PM, que se acentuou com a derrubada da presidenta Dilma Roussef e a ascenção dos golpistas, as famílias sem-terra resolveram resistir e ocupar mais latifúndios pertencentes ao grupo de Eike Batista.

A dirigente estadual do MST, Mirinha Muniz afirmou que “o que vimos aqui foi a polícia cumprindo o papel de cão de guarda dos interesses do capital hidromineral. O comando da polícia cumpriu ordens dadas na nossa frente pelos encarregados da MMX para nos expulsar. Esses parasitas destroem nossos bens naturais e acham que a propriedade privada está acima das vidas de crianças, idosos e de todos trabalhadores e trabalhadoras”.

Os trabalhadores sem-terra mostram o caminho para conquistar suas terras, enfrentar o latifúndio e derrotar os golpistas. Somente com a luta e a mobilização dos trabalhadores é que podemos reverter essa situação e acabar com o latifúndio, derrotando os golpistas e garantindo a candidatura de Lula para a presidência.