Siga o DCO nas redes sociais

Genocídio de trabalhadores
Em cidade de MS, 90% de contaminados são de frigorificos
O frigorífico Brasil Global da cidade Guia Lopes da Laguna (MS) é responsável por 97 casos de testados positivos do contágio pelo coronavírus dos 108 registrados na cidade
bois no pasto - 18-10-2019
Genocídio de trabalhadores
Em cidade de MS, 90% de contaminados são de frigorificos
O frigorífico Brasil Global da cidade Guia Lopes da Laguna (MS) é responsável por 97 casos de testados positivos do contágio pelo coronavírus dos 108 registrados na cidade
Gado confinado para o abate – foto: DCO
bois no pasto - 18-10-2019
Gado confinado para o abate – foto: DCO
Júlio

Estado da região Centro Oeste do país que, entre outros, são os primeiros em acidentes e doenças do trabalho em frigoríficos, Mato Grosso do Sul, aos poucos vai revelando o tamanho do estrago que vem fazendo aos trabalhadores desse setor produtivo, quanto ao coronavírus.

Na cidade de Guia Lopes da Laguna, município de Mato Grosso do Sul é um exemplo do que os patrões vinham fazendo até o momento em que foi interditado em oito de maio.

O frigorífico Brasil Global da cidade Guia Lopes da Laguna é responsável por 90% dos casos positivos do contágio pelo coronavírus que, segundo a Secretaria Municipal de Saúde, tem registrado 108 e, somente no frigorífico testaram positivo 97 trabalhadores. O Brasil Global é o principal foco de contaminação.

Foram suspensos os trabalhos por 15 dias e pretende reabrir nesta sexta-feira (22), de forma gradual, com metade do quadro de pessoal.

O Ministério Público do Trabalho (MPT) anunciou diligência na unidade para verificar se as medidas previstas no plano de contingenciamento do frigorífico, entregue nesta semana, serão seguidas, e também para obter um panorama sobre o total de funcionários suspeitos e infectados.

Leia Também  MP 936: mais um golpe da direita, no Senado, contra os bancários

Somente no Mato Grosso do Sul há notificações de pelo menos 30 frigoríficos. Conforme foi verificado no Rio Grande do Sul e Santa Catarina, os governadores golpistas desses dois estados, em atitude de verdadeiros genocidas, o Eduardo Leite (PSDB) e Carlos Moisés (PSL), respectivamente, esconderam casos de contaminação em frigoríficos até quando conseguiram. Do mesmo modo agiram, tanto o governador de Mato Grosso do Sul, o latifundiário Reinaldo Azambuja, quanto o prefeito da cidade Guia Lopes de Laguna, Jair Scapini, ambos do golpista PSDB.

Conforme o MPT Covid-19 confirmados se espalham por todos os cantos do MS, em Dourados 31 casos de contaminação em reservas Indígenas Jaguapiru e Bororó começou com uma funcionária do frigorífico JBS (Seara) que testou positivo para a doença e manteve contato com dezenas de moradores.

Os casos foram confirmados após testagem em parte dos cerca de 18 mil moradores, que, em boa parte, não têm acesso à água encanada e equipamentos de proteção, ou mesmo à alimentação adequada.

A fiscalização é algo praticamente inexistente

No entanto, o trabalho de fiscalização é totalmente esporádico e pontual, uma vez que, o número de fiscais é ínfimo, uma vez que o governo golpista do fascista Bolsonaro tem como objetivo extinguir toda a qualquer fiscalização às indústrias, principalmente dos frigoríficos, política essa, que vem sendo implementada pela golpista, latifundiária e ministra da agricultura Tereza Cristina que, auto intitula os próprios patrões a fazerem, eles mesmos a fiscalização de seus frigoríficos, ou seja, esta é a volta do período colonial e os patrões são os senhores de engenho do século XXI.

Leia Também  Governo atrasa pagamento de trabalhadores com salários reduzidos

São perto de 500 frigoríficos espalhados pelo Brasil, os fiscais não dão conta nem de um quinto, além de serem, a todo instante ameaçados pelos patrões ou seus capatazes (seguranças).

É necessária a paralisação dos frigoríficos imediatamente, para que seja preservada a vida de milhares de operários desse setor.

Imediata redução da jornada de trabalho, sem redução nos salários.

Criação de comissão de fábrica em todos os frigoríficos para tirar encaminhamentos contra o brutal ataque dos patrões.

Formação de conselhos populares onde os trabalhadores e seus familiares moram, para debater e organizar propostas concretas diante da situação atual causada pelo coronavírus.

Fora Bolsonaro e todos os golpistas.