Esquerda pra valer
Em Bélem, setores da direita tradicional apostam na frente ampla com o PSOL. Partido que demonstra com ardor que merece a confiança da burguesia
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
img20180313213035432
Edmilson Rodrigues, farsa do PSOL para fortalecer a frente ampla em Belém | Foto: Reprodução

Na medida em que o PSOL joga fora sua máscara socialista e demonstra sua dedicação à direita, a burguesia passa a apostar as fichas no partido para confundir a classe trabalhadora e desmontar o PT. A título de exemplo, em Belém, no segundo turno, o candidato Edmilson Rodrigues (PSOL) está contra o delegado Everaldo Eguchi (Patriota), e notoriamente recebe apoio de partidos direitistas como o PSDB e o PV. 

Esses partidos são ligados diretamente ao imperialismo, responsável por toda a crise nefasta imposta no País, e assim, em conjunto com a articulação da frente ampla que marca as candidaturas do PSOL, fica claro que uma eventual conquista da prefeitura de Belém não faz avançar nem um milímetro a luta contra o fascismo. Pelo contrário, trata-se de uma alternativa suicida no combate ao bolsonarismo e aos golpistas, e por isso, precisa ser sistematicamente denunciada.

Eguchi é o candidato tipicamente bolsonarista, além de ser de um partido da extrema direita, é representante do aparato repressivo do Estado e apoiado abertamente pelo presidente e seus aliados. Já Edmilson, é um pouco mais enfeitado. Sua base são os setores esquerdistas da classe média e recebe apoio tanto de artistas  como a paraense Gaby Amarantos, Caetano Veloso, Fafá de Belém como da direita golpista.

É normal, principalmente entre a pequena burguesia, uma enorme confusão em tais situações. Uma premissa absurda que reina nesse terreno, é a de que é preciso votar, independente do candidato ou da política. Assim, a conclusão óbvia é a de que é necessário votar no “mal menor”, como a única alternativa de combate ao bolsonarismo. Entretanto, o candidato “menos pior” também é financiado pelos mesmo que financiam o bolsonarismo, ou seja, finalmente, você escolhe o método pelo qual o fascismo será aplicado durante a crise e desvia a classe trabalhadora da mobilização necessária para barrá-lo.

Deste modo, uma ala da direita, a mais tradicional no caso de Belém, aproveita para reviver seus candidatos e prosseguir com sua política por acordos imperecíveis com os típicos partidos de legenda, como o PSOL. Além disso, é uma ótima oportunidade para tentar criar uma alternativa ao PT, que por ser um partido com uma representação muito maior dentro da classe operária, não é capaz de levar adiante a política que os golpistas têm em mente para o próximo período. 

Entre os partidos mais direitistas que apoiam o candidato do PSOL, estão partidos políticos do bloco mais fundamental e tradicional do regime burguês, como o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) e sua sub-legenda, o Partido Verde (PV). Além deles, outro extremamente direitista que declarou apoio ao PSOL foi o Cidadania.

O PSDB, consagrado golpista e reconhecido por sempre defender os interesses da burguesia, que levou a população ao atual estado de miséria, declarou o apoio através do presidente de sua juventude paraense, Pablo Alves, que se posicionou através de sua conta no Twitter;

Como social democrata em Belém, não dá pra ter outro lado. Dia 29 é dia do voto útil 45 + 5”.

Já em relação ao PV, ele declarou seu apoio a Edmilson em uma nota repleta de demagogias que revelam as segundas intenções por baixo de um mero apoio eleitoral: 

“O PV JAMAIS se aliaria a um candidato ou partido que viesse contra as suas ideologias, que apresenta um plano de governo retrógrado e que demonstra um total desconhecimento de gestão e de visão humana e ambiental e por esses e tantos outros motivos, o PV de Belém NÃO fará base ao candidato, do partido Patriotas, EGUCHI e repudia veementemente seu plano de governo e o desrespeito às minorias.

Quanto ao candidato Edmilson Rodrigues, do PSOL, entendemos, que mesmo tendo inúmeras diferenças ideológicas, seu plano de governo está mais próximo dos verdes, deixando claro que este é o melhor candidato apresentado.

Após debates internos, entre filiados e direção, o PV de Belém DECIDE liberar suas candidatas, candidatos e filiados para apoiarem o candidato Edmilson Rodrigues do PSOL, sem firmarem acordos pelo PV, ou falem em nome deste”

É óbvio que o PV nunca lutou e nunca irá lutar pelas “minorias” e no rumo do ambientalismo. Na realidade, são suas falácias típicas, repetidas pelos psolistas, para enganar a classe trabalhadora, que deve lutar diretamente contra o imperialismo e o golpe de estado, para assim travar a luta política por toda população oprimida e pelo próprio meio ambiente.

O Cidadania também se posicionou a favor do voto em Edmilson. Em nota, assinala que

“Reunido com suas executivas estadual e municipal de Belém, assim como com a representação dos candidatos que concorreram ao pleito eleitoral de 2020 em Belém, decidiu, por ampla maioria, o indicativo de voto para Edmilson Rodrigues, candidato a prefeito de Belém pelo Psol 50”.

Continuando a nota, percebe-se as inúmeras baboseiras baixas para ocultar a obscuridade da aliança: “Respeitando o resultado das urnas e parabenizando a campanha propositiva conduzida pelo nosso candidato Thiago Araújo, e entendendo que ambos os projetos apresentados à opção de votos da população de Belém no segundo turno não expressam plenamente nossos ideais e as propostas do partido, mas em respeito à democracia, preocupados com o risco de retrocesso e com o propósito de combater à intolerância, preservando a diversidade de pensamentos, dentro dos princípios que norteiam nossas diretrizes partidárias, não podemos ter outra posição”.

A UP, que diz ser de extrema esquerda, a reboque da direita e da frente ampla, também apoia a candidatura. Como também fazem os partidos tradicionais da esquerda parlamentar, o PCdoB e PT – colaborando para seu próprio desmonte – e os pseudo esquerdistas como Rede e PDT.

Diferente de como anda a política confusa e fracassada da esquerda, que indica para a população que o combate ao fascismo é pela via eleitoral, o PCO defende, não só em Belém, mas em todo Brasil o voto nulo contra os golpistas e seus aliados.

Por uma grande mobilização pelo Fora Bolsonaro e todos os golpistas e por Lula presidente!

Vote nulo contra a frente ampla e os golpistas! Não vote em candidatos oportunistas e pequeno-burgueses.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas