Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
57204050_2267897866566597_6709894142295539712_n
|

Em Assembleia estudantil na USP, que ocorreu na terça-feira (11), foi aprovado pelos estudantes a palavra de ordem “Liberdade para Lula”, como uma das pautas da greve geral e da mobilização estudantil do dia 14 de junho. Porém, a esquerda golpista fez de tudo para impedir que isso acontecesse.

Quando a Aliança da Juventude Revolucionária (PCO – AJR) colocou a proposta, junto com o grupo do PSOL, Socialismo ou Barbárie, de aprovar, para o dia 14, as palavras de ordem; Fora Bolsonaro, Moro e Mourão; Eleições Gerais já; liberdade para Lula; e contra os cortes na educação, os grupos da esquerda pequeno-burguesa saíram do túmulo para derrotar a votação.

O DCE, controlado por PT e PCdoB, mantiveram a liberdade de Lula, mas procuraram derrotar a palavra de ordem “Fora Bolsonaro, eleições gerais” através do “Fora Moro e Fora Weintraub”, que em si é um erro pois do que adianta derrubar um ministro sem derrotar todo o governo? No máximo, um outro ministro da justiça, tão ruim quanto Moro, entrará em seu lugar. O PT, que votou junto ao MES-PSOL, argumentaram que Bolsonaro ainda tem apoio popular – algo totalmente fora da realidade.

Porém, isso é o menos importante, pois pelo menos, a liberdade de Lula foi aprovada. O interessante foi ver, mesmo após o escândalo da Lava Jato, mostrando a conspiração para prender Lula de forma ilegal, os grupos da esquerda golpistas tentando impedir os estudantes da aprovarem a luta pela liberdade de Lula.

O Partido Socialista dos Trabalhadores Unificados (PSTU), procurou junto com o Território Livre, grupo que recentemente escreveu um editorial com o título “Fora Moro! Lula na prisão!”, argumentar de que a palavra de ordem “liberdade para Lula”, e todas suas variantes, “não unificam”.

Obviamente, como ficou claro com a defesa do golpe contra a Dilma Rousseff (PT), a unificação que buscam estes setores não é com os trabalhadores e suas organizações, mas com os golpistas e o imperialismo.

Eles ficaram na defensiva de afirmar, frente a todos da Assembleia, que defendem a prisão totalmente ilegal de Lula, a principal liderança (gostemos ou não) da esquerda pelo imperialismo e a extrema-direita.

Estes grupos, que estão na defensiva por ter apoiado o golpe em todas as ocasiões, agora procuram justificar seu golpismo com argumentos fajutos. O bom foi que perderam na Assembleia.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas