Segue os massacres na Colômbia
De acordo com a deputada Juliette de Rivero, foi o ano com os maiores números de massacres desde 2014, e que envolveram a morte de 292 pessoas
Colombia
Estudantes protestando em Bogotá, setembro de 2020 | Foto: Fernando Vergara/AP
Colombia
Estudantes protestando em Bogotá, setembro de 2020 | Foto: Fernando Vergara/AP

De acordo com o site de noticias Telesur, nesta terça-feira (23) o Escritório das Nações Unidas para os Direitos Humanos na Colômbia apresentou seu relatório sobre a situação no país sul-americano em 2020, no qual afirma que houve um aumento da violência, especialmente em territórios e comunidades rurais.

A deputada Juliette de Rivero assinalou que seu gabinete documentou 76 massacres e continua a verificar outros cinco durante esse ano. De acordo com esses números, a entidade da ONU afirma que foi o ano com os maiores números de massacres desde 2014, já que envolveram a morte de 292 pessoas e, de acordo com a organização mundial, esse tipo de evento vem aumentando desde 2018.

O escritório da Colômbia também documenta 248 homicídios de ex-combatentes das FARC desde a assinatura do acordo de paz de 2016. Da mesma forma, lamentou que tenham ocorrido 795 ameaças contra líderes sociais e defensores dos direitos humanos e afirma que continuam em grande situação de vulnerabilidade. desamparo.

Mais da metade dos massacres, de acordo com o relatório apresentado nesta terça-feira, se concentraram em apenas três departamentos: Antioquia, com 19 casos, e Cauca e Nariño, com 11 massacres cada. Além disso, aquela secretaria também apresentou os massacres ocorridos até agora em 2021, que já são 6 casos (outros 5 em apuração), com 21 mortes.

No entanto os números de massacres na Colômbia publicados pelo Indepaz (Instituto de Estudos para al Desarrollo y la Paz) em 18 de fevereiro são bem maiores. Segundo o Instituto, em 2021 foram 14 massacres e 55 vítimas, em 2020, 91 massacres e 381 pessoas mortas.

 

Relacionadas
Send this to a friend