Empastelameento digital
No dia 18 de julho deste ano o DCO foi atacado por fascistas que quiseram destruir o diário online; em contra-ataque, o PCO realizou uma ampla campanha de solidariedade
nota-pco-ataque-hacker
Banner da campanha de solidariedade ao DCO | Foto: Reprodução
nota-pco-ataque-hacker
Banner da campanha de solidariedade ao DCO | Foto: Reprodução

Na tarde do dia 18 de julho de 2020 aconteceu um dos maiores ataques à uma organização de esquerda do último período e sem dúvidas o maior ataque sibernético já registrado no Brasil. Hackers, ainda não identificados e de ligações políticas desconhecidas, invadiram este diário, o Causa Operária, na intenção de destruir o órgão de imprensa. Os hackers se utilizaram de um software, um sistema de computação, para invadir a estrutura do site rapidamente e assim começar a destruir toda estrutura do site por dentro. Em poucas horas o prejuízo foi de, em média, 4.000 matérias e uma desestruturação quase completa do site. O ataque fascista dessa magnitude foi considerado pelo Partido da Causa Operária como um empastelamento digital. O resultado foi idêntico as ações de bandos fascistas às gráficas de sindicatos, associações e partidos realizadas em um passado próximo. Isto é, foi uma ação claramente de tipo fascista, com a intenção de desmantelar totalmente o site, que é uma peça fundamental de denúncias e de educação a classe trabalhadora.  Uma feição nova, para o método velho.  

Sem sombra de dúvidas, não foi um ataque convencional. Tanto este diário, como a página oficial do PCO, já tinha sido atacado no passado. Mas não passava de ataques amadores, muitas vezes onde aquele que se propunha a fazer estava ali para fazer uma autopropaganda. A diferença fundamental desse ataque para os outros era a visível intenção de destruir por completo o diário. O objetivo dos que ataram o DCO só foi impedido graças aos militantes que interviram em pleno curso dos acontecimentos. 

“Entendemos, assim, que este ato criminoso foi obra da direita fascista ou de uma ação paraestatal. O método é inconfundivelmente da direita e do aparato repressivo, inimigos da liberdade de expressão e da esquerda revolucionária, que nos tempos da ditadura, e mesmo em alguns regimes considerados democráticos, no Brasil e no resto do mundo, empastelavam os jornais da esquerda, quando havia apenas jornais impresso. O paralelo aqui pode ser facilmente traçado: trata-se de um empastelamento digital.” escreveu em nota o Comitê Central do Partido da Causa Operária na época. 

Neste momento, o PCO de conjunto iniciou uma campanha de repúdio contra o ataque fascista. A campanha visava o início de um contra-ataque aos fascistas que tentavam intimidar o partido, barrar suas denúncias e colocar a esquerda em uma completa defensiva. De fato, não conseguiram. E não conseguirão. 

Para acessar todas as declarações, basta acessar o link: https://www.youtube.com/playlist?list=PL6exWLai3Il3CR41nAEuJWxSgd8DSUg9J 

A campanha de solidariedade ao Diário Causa Operária foi um sucesso, alcançando figuras importantes do meio artístico, cultura, personalidades, figuras internacionais, políticos importantes da esquerda nacional, lideranças de movimentos sociais, líderes sindicais e, inclusive, os dois ex-presidentes da República pelo Partido dos Trabalhadores, sendo eles Dilma Rousseff e Luís Inácio Lula da Silva. Dilma escreveu uma carta ao PCO e Lula mandou um vídeo exclusivo.  

Em nota, Dilma Rousseff reconhece o papel do PCO na luta contra a direita que ela teve que enfrentar durante o golpe de 2016: 

“Aos companheiros Rui da Costa Pimenta, Antônio Carlos e a todos os companheiros e amigos do PCO  

Recebam a minha mais calorosa solidariedade neste momento em que enfrentam uma ofensiva criminosa de grupos fascistas que, por meio de hackers, invadiram o site do “Diário da Causa Operária” e destruíram milhares de artigos publicados e arquivados. Em uma conjuntura de ataques flagrantes à democracia, quando foi revelado que o governo de extrema direita está espionando e fichando militantes antifascistas, num ato típico das ditaduras militares, a invasão do site do PCO é mais uma ação grave de violência política e um atentado às liberdades democráticas. É uma ignóbil afronta ao estado democrático de direito. 

Os fascistas, identificados com o governo ou por ele apoiados, querem calar e destruir a imprensa operária e popular. Tentam impor o discurso único das fake news, muitas das quais, segundo investigação do STF, foram produzidas no interior do Palácio do Planalto pelo chamado “gabinete do ódio”. O PCO sempre esteve fortemente identificado com as causas populares. Tem estado do lado certo da história, como na luta contra o golpe de 2016; na defesa vigorosa, tenaz e irredutível da anulação do impeachment; na defesa da liberdade de Lula e no combate à ascensão da extrema direita. 

Conta e contará sempre com a minha solidariedade e meu apoio, ainda mais quando está sendo agredido em seu direito democrático de expressão e manifestação. Manifesto minha solidariedade ao companheiro e amigo Rui Costa Pimenta, presidente do PCO e a todos os militantes do partido. Reafirmo a minha confiança de que, unidos e mobilizados, resistiremos ao fascismo que não pode passar. E não passará!

Relacionadas
Send this to a friend