Segundo Atlas da Violência
Número de assassinato de mulheres cresceu 4% entre 2008 e 2018. A luta deve ser contra a extrema-direita
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Marcha mundial das mulheres
Marcha mundial das mulheres | Foto: Reprodução

Segundo pesquisa divulgada pelo Atlas da Violência na quinta-feira (27), o número de mulheres vítima de homicídio em 2018 foi de 4.519, representando uma mulher assassinada a cada duas horas durante o ano. A taxa é de 4,3 para cada 100 mil habitantes do sexo feminino do país.

Também foi observado, entre os anos de 2008 e 2018, o aumento entre assassinatos de mulheres negras (12,4%), que contrasta com a diminuição do assassinato de mulheres não negras (queda de 11,7%). No mesmo período, houve um aumento de 4% no assassinato de mulheres no país inteiro. No entanto, o aumento foi muito grande em alguns estados No Ceará, por exemplo, houve um aumento de 278% nesse número.

Esse aumento tem relação com o processo de golpe de estado no país, que fez com que a extrema-direita se fortalecesse e passasse a atacar os setores mais oprimidos da população, como as mulheres, os negros e os LGBT.

 

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas