Coronavírus
Vice-presidente contraria discurso do presidente ilegítimo
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
O presidente Jair Bolsonaro assinou um decreto que flexibiliza as regras de transporte de armas para colecionadores, atiradores esportivos e caçadores, conhecidos pela siga CAC.
O ato foi feito no salão nobre do Palácio do Planalto, na presença de ministros, parlamentares e de representante de caçadores e colecionadores. Brasilia 07/05/2019 Foto: Sérgio Lima/PODER 360
Hamilton Mourão | Foto: Sérgio Lima/Poder360

Nesta segunda-feira (11), após mostrar-se recuperado da infecção por coronavírus, o vice-presidente Hamilton Mourão declarou que tomaria a vacina contra a COVID-19:

“Eu acho que a vacina é para o país como um todo, uma questão coletiva não é individual. Indivíduo aqui está subordinado ao coletivo, nesse caso”.

A afirmação contraria o discurso oficial do presidente ilegítimo Jair Bolsonaro, que procura sabotar abertamente qualquer tipo de vacina. Mourão, no entanto, não se coloca a favor da vacinação por uma questão de princípios “científicos”, mas sim por ser um elemento mais ligado à burguesia imperialista do que o próprio Bolsonaro. O vice-presidente general trabalha como uma espécie de elo entre a extrema-direita fascista do bolsonarismo e o imperialismo.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas