Eletrobrás boicota usina nacional e deixa municípios em total escuridão

apagão-castelão

Os municípios de São João da Baliza, São Luiz e Caroebe estão situados no sul do estado de Roraima e nos últimos dias tem sofrido quedas de energia e apagões. Estas cidades são abastecidas por energia elétrica gerada na Usina de Guri na Venezuela e complementada por energia gerada em usinas termoelétricas. Na região está situada a usina hidrelétrica de Jatapu que produz energia além das suas necessidades mas encontra-se desligada. A usina de Jatapu, pertencente à estatal Companhia Energética de Roraima (CERR) existe há 24 anos, foi reformada a um custo de R$ 66 milhões financiados pelo estado e reinaugurada há cerca de 20 dias mas alguns dias depois foi desligada.

Desde o dia 2 de julho a empresa distribuidora, Eletrobrás distribuição Roraima, se recusa a receber a energia produzida por Jatapu. O desligamento de uma chave numa das subestações impossibilita a sua entrega. Segundo o presidente da CERR, Kleber Coutinho não existe razão para a Eletrobrás não receber a energia e que o governo de Roraima tomará medidas judiciais. A empresa distribuidora não apresentou razões para a recusa em receber a energia gerada em Jatapu e também não fez qualquer comentário que esclarecesse o assunto.

Após a instalação do governo ilegítimo no poder, atos abertamente lesivos à nação e ao povo brasileiro tem sido praticados despreocupadamente sem qualquer disfarce. Os dirigentes pós golpe da ELETROBRAS chegaram ao ponto de contratar uma campanha publicitária para denegrir o nome da empresa e isso não teve qualquer consequência. Desse modo a sabotagem à uma usina hidrelétrica estatal brasileira em favor de termoelétricas que fornecem energia poluente por um preço mais alto só pode ser levado a conta de mais uma sabotagem deliberada contra o povo de Roraima e do Brasil. Não mais se cospe no rosto da nação: escarra-se.