Eleito pelos russos? Trump volta atrás sobre intervenção russa nas eleições dos EUA

putin trump

Da redação – Após uma afirmação do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, durante sua reunião com Vladimir Putin, presidente da Rússia, em que ele desmentiu a tese histérica dos Democratas norte-americanos de que os russo teriam intervido nas eleições da maior potência do mundo, a imprensa imperialista, ligada ao setor mais tradicional do imperialismo, entrou numa dura campanha de ataques ao Trump.

Desta forma, pressionado, Trump voltou atrás em sua afirmação e disse que realmente os russos teriam intervido nas eleições, apesar de não terem interferido no resultado que lhe concedeu vitória. Fica aí uma luta de quem é mais ridículo: se são os democratas, com sua paranoia histérica, ou se Trump que sob pressão acabou afirmando que sua vitória seria obra dos Russos.

Entretanto, o que é importante de se dizer é que existe uma imensa campanha golpista contra Trump. Esse argumento dos russos ameaçando o país é um velho golpe do imperialismo para manipular a situação política. A ala mais tradicional do imperialismo está num surto psicótico em defesa desta tese ridícula, e os partidos tradicionais, Democratas e Republicanos, estão numa profunda crise. Existem setores do próprio partido de Trump (Republicano) que estão na campanha contra o presidente. Essa crise pole levar o partido a rachar e dar espaço para a extrema-direita com toda essa desmoralização.

Porém, é importante entender mais a fundo o objetivo desta campanha de que supostamente os russos teriam intervido nos Estados Unidos. Isso é uma maneira de de atacar Putin, iniciando um pretexto para a guerra militar contra o país. Isso fica claro com a campanha que compara o evento com Pearl Harbor, quando os norte-americanos se deixaram atacar pelos aviões japoneses para adentrar na 2ª Guerra Mundial. Mais uma vez, os EUA procuram uma justificativa para atacar os outros usando como pretexto um suposto ataque contra eles, e é possível que o próximo presidente que assuma, se a ala principal da burguesia conseguir derrubar Trump, inicie uma guerra contra a Rússia. A conta d e mais essa crise do sistema capitalismo internacional pode ser cara demais.