Menu da Rede

Adquira o Jornal Causa Operária 1.172!

Direita foi escorraçada no ato

El País admite insucesso da infiltração da direita nos atos

Jornal do imperialismo espanhol lamenta que a direita não tenha conseguido sequestrar o ato de 3 de julho

Atos foram majoritariamente vermelhos, contra o gosto da imprensa burguesa – Foto: reprodução

Em uma matéria publicada nesse sábado, o jornal El País admitiu que as tentativas de infiltração da direita nos atos pelo “Fora Bolsonaro” não obtiveram sucesso algum e, pelo contrário, fizeram com que a direita fosse hostilizada pela população que saiu às ruas.

A matéria do jornal, que possui como manchete “Protestos contra Bolsonaro repetem êxito, mas não extrapolam bolha da esquerda” e que é assinada por Carla Jimenéz, Regiane Oliveira e Mariana Assis, lamenta muito o fato de que a direita presente no ato tenha sido muito hostilizada pela população.

Em alguns dos casos citados, a reportagem cita que uma pedra teria sido jogada por manifestantes contra a ala do PSDB presente no ato, que essa mesma ala teria escutado de uma ativista que passava por ela que “ainda bem que esse bosta morreu”, em referência à morte de Bruno Covas, que pessoas com a camiseta do PCO teriam entrado em uma briga com os tucanos e que a deputada do PDT Tabata do Amaral teria sido vaiada.

É preciso, primeiramente, demonstrar que a matéria do El País é extremamente acertada quanto à hostilidade recebida pelos elementos da direita no ato. Não é para menos. O PSDB é, provavelmente, o partido mais odiado pela população brasileira. Durante sua época na presidência da república, com Fernando Henrique Cardoso como presidente, o PSDB causou uma das maiores ondas de fome pelas quais o país já passou, com cerca de 50 milhões de pessoas abaixo da linha da miséria, além de ter reprimido fortemente os trabalhadores e de ter entregado de graça as maiores riquezas nacionais do povo brasileiro para ricaços ficarem ainda mais ricos, caso da Vale do Rio Doce, de toda a telefonia pública brasileira, de bancos estatais, de parte da Petrobras e do Banco do Brasil e de outros.

O citado Bruno Covas, louvado como um grande democrata após sua morte, na realidade, foi o responsável por ter colocado pedras debaixo de pontes em São Paulo para que moradores de rua não pudessem ali dormir, mesmo em meio à pandemia do coronavírus.

O partido é também identificado como sendo “o” partido do golpe de estado de 2016. Isso porque a direita que tomou conta dos atos de junho de 2013, fizeram uma campanha com características fascistas a favor de Aécio Neves em 2014, incluindo agressões a militantes de esquerda.

Muitos, inclusive, se lembram da piada que se fazia com os direitistas que apoiavam o golpe de 2016, de que eles acreditavam que, caso Dilma fosse derrubada “quem assumiria seria o Aécio”.

No entanto, os direitistas daquela época deixaram de apoiar o PSDB e passaram a apoiar Bolsonaro, tanto que Geraldo Alckmin teve uma das piores votações para presidente da história dos tucanos e o candidato ao governo de São Paulo só ganhou pois escondeu a sigla do PSDB e passou a se chamar de “Bolsodoria” para atrair votos da extrema direita.

Nesse sentido, é extremamente natural que a população presente nas manifestações contra Bolsonaro, não aceite a presença dos direitistas no ato e sejam hostis contra o partido.

No entanto, a matéria tenta apontar que a união entre a direita e a esquerda seria necessária para a derrota de Bolsonaro.

Estaria o jornal do imperialismo espanhol, que é um grande apoiador dos golpes de estado na América Latina, que sempre faz coro para o golpe na Venezuela e que é extremamente hostil ao PT no Brasil, querendo a derrubada de Bolsonaro para que a população fosse liberta da opressão fascista?

Nada disso.

Por trás do tom professoral que tenta “ensinar” a esquerda sobre como deve ser a luta contra um governo direitista, a matéria do El País tenta abrir espaço para que a direita consiga se infiltrar nos atos e repita o que aconteceu em 2013, ou seja, que a direita pareça ser a cabeça do movimento pelo “fora Bolsonaro” para que no ano que vem tenhamos alguém como o bolsonarista e psdebista Eduardo Leite na presidência.

É preciso fazer exatamente o oposto do que tenta pregar a matéria. Não podemos permitir que a direita moribunda, que agora perdeu todo seu apoio para o bolsonarismo mas que o apoia em todas as suas pautas contra os trabalhadores, tentem roubar o ato dos movimentos populares e da esquerda. É preciso intensificar a mobilização nas bases, chamar os trabalhadores e os moradores das periferias, favelas e assentamentos do Brasil para que eles saiam às ruas e determinem os rumos do movimento, não a direita fascista enrustida.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores
O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Cultura

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.