Eike Batista foi condenado a 30 anos de cadeia: proporção da pena é um alerta para a burguesia nacional

eike

Em 2009, o empresário Eike Batista se tornou o homem mais rico do Brasil. Dono de uma série de empresas dos mais variados ramos, Batista nunca escondeu sua ambição em ser o homem mais rico do mundo. No entanto, alguns anos depois, sua vida mudou completamente: os negócios de Eike Batista despencaram, a fantasma da falência financeira começou a assombrá-lo e, para completar a queda do ex-bilionário, Batista foi preso pela Polícia Federal.

Eike Batista foi mais uma das vítimas das investigações da Polícia Federal no Rio de Janeiro, que é o Estado que mais foi afetado com as operações promovidas pelo imperialismo. As operações golpistas no Rio de Janeiro derrubaram praticamente todos os representantes de um setor da burguesia que se beneficiou fortemente com os governos do PT – um setor que não tinha tanto interesse em seguir as determinações do imperialismo. As perseguições no Rio de Janeiro abrangeram políticos como Sérgio Cabral, Jorge Picciani, Anthony Garotinho, Eduardo Cunha e muitos outros. Além disso, atingiu vários empresários, como é o caso de Eike Batista.

Agora, quase dois anos depois de sua prisão, Batista acaba de ser condenado a 30 anos de detenção. A condenação altíssima surge como um alerta para toda a burguesia nacional. Afinal, os mesmos setores que apoiaram o golpe contra Dilma Rousseff com interesse em aumentar a exploração sore os trabalhadores, estão vendo agora que não serão poupados pelo imperialismo.

De maneira alguma a condenação de Eike Batista deve ser comemorada. Esse fato só comprova que o imperialismo está determinado em esmagar todos aqueles que se opuserem aos seus interesses. Se um empresário milionário pegou 30 anos de cadeia, um operário pegará 100 anos se simplesmente fizer uma greve. Por isso, é necessário denunciar o golpe e os golpistas, exigindo o imediato fim da Operação Lava Jato e a liberdade de todos os presos políticos.