Educadores de São Paulo farão Plenária Aberta Contra o Golpe em Campinas

manifest

No dia 12 de Julho, as 14h, acontecerá na cidade de Campinas, a Plenária Aberta de Luta Contra o Golpe dos Educadores de São Paulo. A atividade reunirá trabalhadores da Educação de todo o Estado que atuam nos comitês de luta contra o golpe, pela anulação do impeachment, pela liberdade de Lula, Em defesa da democracia, Lula livre etc.  para debater os ataques golpistas contra o ensino público e contra todo o povo e para impulsionar a mobilização contra o golpe, pela liberdade de Lula e por Lula presidente. A atividade será parte também da preparação da Conferência Nacional Aberta de Luta contra o golpe a ser realizada nos dias 21 e 22, em São Paulo, na quadra dos Bancários.

A atividade será realizada na subsede da Central Única dos Trabalhadores, na cidade de Campinas e contará com militantes e dirigentes da APEOSP (sindicato dos professores da rede estadual) que aprovou o apoio à Conferência Nacional na última reunião do seu Conselho Estadual de Representantes, da oposição Educadores em Luta/PCO, ativistas de várias outras entidades da Educação da Capital (Sinpeem) e do interior do Estado.

Os comitês de várias regiões estão organizando caravanas para o evento que tem enorme importância na preparação da atividade nacional e onde deverão ser abordadas as graves consequências do golpe na Educação e nas condições de vida em geral do povo trabalhador. Serão debatidas propostas para serem levadas pelos Educadores à Conferência Nacional e, ao final, será realizada uma confraternização entre os participantes.

As últimas manobras escancaradas e totalmente ilegais dos golpistas do Supremo Tribunal Federal, para manter preso e impedir a candidatura presidencial da maior liderança popular do País, Luiz Inácio Lula da Silva, evidenciam a necessidade de um fórum para debater e esclarecer as perspectivas da situação política e, principalmente, para unificar o crescente ativismo de esquerda que luta contra o golpe em torno da necessária mobilização capaz de derrotar os planos da direita para fraudar as eleições – realizando-as sem a participação de Lula – ou até mesmo cancelando-as, diante das notórias dificuldades de unificação dos setores reacionários em torno de um candidato com um mínimo de apoio popular.

Neste momento de retrocesso social é importantíssimo a união dos mais dispostos e o debate sobre a luta contra o Golpe de Estado. Essa atividade é aberta ao público e todos estão convidados a participarem dessa atividade para se preparar para a Conferência Nacional Aberta de Luta contra o Golpe que acontecerá em São Paulo nos dias 21 e 22 de julho.

Nas próximas edições do Diário, vamos publicar maiores informações sobre o evento e contatos para inscrições.