Menu da Rede

Acompanhe o Resumo do Dia na COTV

  • Capa
  • Educação
  • Paraná comprova que a Escola Cívico-Militar é ditadura

Escolas Fascistas

Paraná comprova que a Escola Cívico-Militar é ditadura

Um estudante foi agredido, ameaçado e contrangido por policiais militares numa Escola Cívico-Militar por ter desenhado uma folha de maconha e escrito "vida louca" em uma carteira.

Vigilância, imposição burocrática, medo e repressão nas escolas – Reprodução

Receba o DCO no Email

O Ministério Público do Paraná apresentou, na quinta-feira, 9 de setembro, denúncia contra um policial militar da reserva por suspeita de agressão e ameaça contra um aluno de um colégio Cívico-Militar. O ocorrido aconteceu há cerca de um mês na cidade de Imbituva, 180 km de Curitiba. O diretor militar do colégio também foi denunciado por ameaça e tentativa de acobertamento do caso.

O motivo da agressão por parte do policial militar que trabalha no colégio teria sido fato de um estudante de 14 anos ter desenhado uma folha de maconha e escrito “vida louca” em uma carteira. O monitor militar interrompeu as atividades pedagógicas e, no dia seguinte, determinou que o aluno apagasse o desenho na frente dos colegas e da professora em sala de aula.

Artigos Relacionados

O estudante relata que no trajeto até a busca do material de limpeza, o policial militar o teria ameaçado de morte e o agredido com um soco na nuca. As ameaças e agressões foram relatadas à Casa Lar, uma espécie de abrigo onde o aluno vive. Na sequência, o diretor militar ameaçou o aluno com a finalidade de abafar o caso e evitar repercussões.

A Secretaria de Educação do Paraná informou que o diretor militar e o monitor militar foram afastados de suas funções no Colégio Cívico-Militar. O caso foi encaminhado à Secretaria de Segurança Pública, órgão responsável pelos militares.

No início de 2021, o governo Ratinho Júnior (PSD) implementou 199 escolas estaduais no modelo Cívico-Militar espalhadas por 117 cidades paranaenses. O modelo funciona sob regime de cooperação entre as Secretarias de Educação e Segurança Pública. No quadro funcional  há um diretor-geral e um diretor-auxiliar civis, mais o diretor cívico-militar e de dois a quatro monitores militares. A Escola Cívico-Militar do Paraná difere um pouco do modelo proposto por Jair Bolsonaro, pois esta última prevê o controle total dos militares tanto nos aspectos pedagógicos quanto administrativos.

O Programa das Escolas Cívico-Militares proposto por Jair Bolsonaro (ex-PSL, sem partido) significa a implantação de uma ditadura militar fascista nas escolas. É de se destacar que este modelo já existia nas escolas administradas pelo PSDB nos estados de Goiás e Amazonas. Nisso, Bolsonaro não traz nada de novo.

As escolas militares são instrumentos de propaganda da extrema-direita bolsonarista. Trata-se de escolas onde vigora um regime de terror sobre estudantes e professores. As Polícias Militares e as Forças Armadas mantém um esquema de monitoramento e vigilância sobre as atividades pedagógicas. Debates sobre política, religião e sexualidade são censurados. Por sua vez, os professores são selecionados conforme um critério político-ideológico de extrema-direita e os contratados para lecionar são politicamente conservadores, fascistas, nazistas, integralistas, bolsonaristas ou monarquistas.

As atividades dos sindicatos de professores e organizações estudantis são banidas no modelo da escola fascista ou Cívico-Militar. Tudo é montado para impedir o desenvolvimento de um ensino crítico, baseado na livre expressão de ideias.

Um dos motes da propaganda dos fascistas em relação às escolas militares é sua capacidade de, supostamente, garantir a segurança e a disciplina. Entretanto, o caso do Paraná demonstra que os policiais militares são os primeiros a fazer uso da violência contra os alunos. A tal da disciplina é fruto da imposição de um regime de terror policial sobre os alunos, que têm medo de se expressar.

O adolescente foi ameaçado e agredido pelos PMs por ter desenhado na carteira do colégio, algo normal em todas as escolas públicas e privadas de norte a sul do País. Ninguém é punido, violentado, ameaçado, agredido e constrangido por isso em uma escola regular.

As escolas fascistas são uma farsa. Na verdade, são um modelo de transição para uma ditadura militar. A ideia  da extrema-direita é doutrinar a juventude na ideia da opressão burocrática, na imposição de uma concepção política e ideológica fascista e impedir a expressão da rebeldia natural da juventude contra o sistema. Ao fim e ao cabo, trata-se de uma escola que naturaliza a miséria e a opressão capitalista e a ideia de que o aparelho de repressão estatal tem que ter como atribuição a vigilância e o controle da sociedade.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.